Entidades sem fins lucrativos de Porto Alegre precisam de doações

Entidades sem fins lucrativos de Porto Alegre precisam de doações

Em meio à pandemia, locais contam com a solidariedade para se manter e adotar as medidas de prevenção ao Covid-19

Jessica Hübler

Crise do Covid-19 pressiona ainda mais funcionamento das instituições

publicidade

O aumento dos casos do novo coronavírus tem modificado a rotina de toda a população e isso também influenciou nas doações para entidades sem fins lucrativos que precisam contar com a solidariedade para se manter. Como a recomendação geral de isolamento social indica que as pessoas fiquem em casa, muitos deixaram de ir até estes locais para ajudar, seja com trabalho voluntário ou até mesmo com doações presenciais.

É o caso, por exemplo, da SOS Casas de Acolhida, do Asilo Padre Cacique, da Casa do Menino Jesus de Praga e da Sociedade Porto-alegrense de Auxílio aos Necessitados (Spaan), entre outras. A Casa do Menino Jesus de Praga (CMJP), uma instituição filantrópica fundada em 6 de janeiro de 1984, é mantida com o apoio da comunidade, empresas e demais segmentos da sociedade. A entidade, que presta serviços especializados na assistência social, promovendo a qualidade de vida de crianças e adolescentes com lesão cerebral profunda e deficiência motora permanente, oriundas de famílias carentes no Estado, também precisa de apoio.

Conforme a organização, as principais necessidades são: alimentos não perecíveis; frutas e verduras; ovos; farinha láctea, mucilon, neston e aveia; luvas para procedimentos látex tamanho P/M e máscaras descartáveis. 

As doações estão sendo recebidas na recepção (portaria 24 horas) da CMJP na rua Nelson Zang, 420, bairro Intercap. Havendo dificuldade em efetuar a entrega, a entidade disponibiliza a alternativa de depósito e transferência bancária. Mais informações podem ser encontradas no site http://casadomenino.org.br/ ou pelo Whatsapp (51) 99572.8124.

Já a SOS Casas de Acolhida, fundada em 1993, é uma Organização da Sociedade Civil, sem fins lucrativos, fiscalizada pelo Ministério Público, que acolhe crianças e adolescentes de 0 a 18 anos que se encontram sob a tutela do Estado, vítimas de abusos, negligências, violências física e psicológica e em grave situação de vulnerabilidade social. Na unidade de Porto Alegre, a organização acolhe 25 bebês de 0 a 3 anos e na unidade de Canoas, na Região Metropolitana, são atendidas 30 crianças e adolescentes até 18 anos, dentre as quais 10 bebês de 0 a 3 anos. “Mais do que nunca precisamos contar com a solidariedade e ajuda de todos para seguir realizando esse trabalho de natureza essencial e assim proporcionar o sustento e o bem-estar dos nossos acolhidos”, ressalta a diretoria da instituição.

As principais necessidades da SOS Casas de Acolhida são materiais descartáveis como luvas, fraldas e máscaras; leites; mantimentos e materiais de higiene. Além disso, a entidade também aceita doações financeiras. Todas as informações podem ser conferidas no site www.acolhida.org.br, pelo telefone (51) 3335-1333 ou pelo e-mail acolhida@acolhida.org.br.

Outra entidade que precisa de apoio é o Asilo Padre Cacique. Desde o dia 19 de março estão suspensas as visitações por determinação médica, tendo em vista o avanço do novo coronavírus. A instituição informou que a medida atende a todas as orientações médicas e governamentais no esforço que vem sendo feito de conter o avanço da doença. Assim que a situação for normalizada, a instituição comunicará a retomada da rotina habitual de visitas que sempre foram importantes para os moradores.

Além das informações sobre a suspensão das visitas, a diretoria do Asilo Padre Cacique reforça o apelo para que a população não deixe de fazer suas doações, “especialmente as financeiras que podem ser feitas através de meios digitais bancários. As informações sobre como doar podem ser conferidas no site asilopadrecacique.com.br/ajuda”. Conforme a diretoria do Asilo, a situação financeira é grave.

A Spaan, fundada em 21 de agosto de 1931, presta auxílio, serviço e assistência a idosos em vulnerabilidade social. A entidade reforça que necessita de doações por conta da baixa no estoque mantido por voluntários. Por conta do novo coronavírus, as medidas de segurança visando à proteção dos idosos moradores da instituição foram prorrogadas, ontem, por tempo indeterminado. Isso significa que as visitas de familiares e voluntários continuarão suspensas. Por conta disso, a entidade alerta que ainda está recebendo doações, que podem ser deixadas na portaria.

Nas terças-feiras, a Spaan realiza a coleta de alguns itens, basta que o doador combine a entrega com a entidade. Os principais itens em falta no momento são os alimentos, como leite e produtos dietéticos; materiais de higiene, fraldas geriátricas, álcool gel e desodorantes spray; e EPIs para a equipe técnica, como luvas, toucas e máscaras descartáveis, além dos protetores faciais. Para obter mais informações sobre as necessidades de doação, basta acessar o site da instituição https://spaan.org.br/ ou então entrar em contato pelo telefone (51) 3247-7400, das 8h às 18h, ou através do WhatsApp, das 8h às 17h45, no (51) 99542-9199.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895