Fóssil de 550 milhões de anos dá pistas sobre primeiros movimentos de animais
capa

Fóssil de 550 milhões de anos dá pistas sobre primeiros movimentos de animais

Yilingia spiciformis parece um "verme segmentado" e seu rastro foi descoberto no sul da China

Por
AFP

Não há animais vivos parecidos com animal além da centopeia, o "mais parecido"


publicidade

Há 550 milhões de anos, um curioso animal morria, deixando o rastro de seu último deslocamento, o que permitiu aos cientistas descrever um dos primeiros organismos capazes de se mover. O animal, Yilingia spiciformis, parece um "verme segmentado" (seu corpo é formado por vários anéis sucessivos, idênticos). "O animal possui dois lados simétricos, uma cabeça e um rabo", explica à AFP o paleontólogo Shuhai Xiao, da universidade Virginia Tech nos Estados Unidos.

Embora já tenham sido descobertas muitas pegadas de deslocamento que remontam ao Ediacarano (há entre 635 e 542 milhões de anos) na Austrália, Estados Unidos, Canadá e África, os fósseis dos animais que teriam feito estes movimentos são mais incomuns. Uma equipe de pesquisadores, dirigida por Shuhai Xiao, anunciou que conseguiu estudar um rastro e seu fóssil correspondente, encontrados juntos nas gargantas de Yangtzé, no sul da China.

O animal morreu enquanto avançava. Não há animais vivos que se pareçam com o Yilingia spiciformis, sendo a centopeia "o mais parecido", acrescenta o especialista. Segundo o estudo publicado nesta quarta-feira na revista Nature, o Yilingia spiciformis viveu há 550 milhões de anos, durante o Ediacarano, e seria "um dos animais móveis mais antigos". A descoberta ocorreu junto a outras 50 descobertas de fósseis, entre 2013 e 2018, idênticos ao animal ou a seu rastro.

Segundo os pesquisadores, o animal vivia na água e devia medir de 5 a 26 mm de largura e até 27 cm de comprimento. Seria formado por meia centena de fragmentos idênticos, cada um deles composto por um "lóbulo central e dois lóbulos laterais apontando para trás".


Shuhai XIAO, Zhe CHEN / Virginia Tech University / AFP / CP