Feriado nublado diminui circulação de pessoas na Orla do Guaíba

Feriado nublado diminui circulação de pessoas na Orla do Guaíba

Ao contrário de outras datas e fins de semana, movimento foi reduzido em praças e parques da cidade

Felipe Samuel

Governo do Estado anunciou a revisão do modelo de distanciamento no Rio Grande do Sul

publicidade

O tempo nublado afastou frequentadores da Orla do Guaíba e dos parques da Capital nesta quinta-feira. No mesmo dia em que o governo do Estado anunciou a revisão do modelo de distanciamento no Rio Grande do Sul, com regras mais rígidas para circulação da população nas 20 regiões em função do combate ao novo coronavírus, o movimento registrado em praças e parques da cidade foi abaixo do normal para um feriado.

Ao contrário de outros feriados e fins de semana, quando o trecho entre a Usina do Gasômetro e Rótula das Tuias, no Centro Histórico, foi tomado por milhares usuários, poucas pessoas se arriscaram a enfrentar a brisa e o tempo nublado nesta quinta-feira. Acompanhada de uma amiga, a bombeira civil Cristina Santana, 41, aproveitava o movimento reduzido para tomar chimarrão no banco de cimento de frente para o Guaíba.

Com pipoca, salgadinhos e doces, a dupla curtia o local para colocar a conversa em dia e observar a vista para as águas do Guaíba. Mesmo com mau tempo, as duas decidiram sair de Novo Hamburgo, onde moram, para se deslocar até a Capital. "Aproveitamos o feriado para um momento de lazer, para espairecer um pouco. Com essa imagem que tem aqui (do Guaíba) a gente consegue desanuviar um pouco a cabeça", justifica.

Próximo dali, no Parque Marinha do Brasil, dezenas de jovens - a maioria sem máscaras de proteção - jogavam futebol em uma quadra alheios à pandemia da Covid-19 e às recomendações de distanciamento social de autoridades da saúde. No calçadão de Ipanema, na Zona Sul, alguns se atreveram a encarar o tempo nublado para caminhadas ou jogar vôlei em duplas. O movimento na região, no entanto, foi bem abaixo para um feriado.

A Redenção, no Bom Fim, e o Parcão, no Moinhos de Vento, parques que normalmente são tomados por milhares de usuários durante a semana, também receberam poucos frequentadores.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895