Festa do Pêssego da Vila Nova inicia no Centro Histórico de Porto Alegre

Festa do Pêssego da Vila Nova inicia no Centro Histórico de Porto Alegre

Organizadores vinham enfrentando dificuldades para realizar a programação na zona Sul da cidade, mas a SMDE contornou o impasse

Por
Cláudio Isaías

Festa do Pêssego da Vila Nova ocorre até o domingo dia 24 de novembro no Centro Histórico


publicidade

Oito bancas localizadas no Largo Glênio Peres, no Centro Histórico de Porto Alegre, vão comercializar pêssegos, ameixas, nectarinas e produtos coloniais feitos pelos produtores da Vila Nova. A 35ª edição da Festa do Pêssego ocorre até o dia 24 de novembro sempre das 8h às 20h. Os organizadores do evento vinham encontrando dificuldades para realizar a programação no seu local tradicional, na zona Sul da cidade. Em razão disso, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico (SMDE) entendeu que a transferência para o Centro seria uma boa oportunidade para contornar os impasses e, ao mesmo tempo, valorizar a festa.

Para este ano, a Emater/RS prevê que a colheita de pêssego em Porto Alegre deverá atingir 125 toneladas. Na manhã desta sexta-feira, mesmo com o feriadão de Proclamação da República, a produtora rural Giordana Píber, da Família Píber na Vila Nova, elogiou a movimentação em um dos pontos mais tradicionais da Capital.

"A nossa expectativa é comercializar mais de seis toneladas de pêssego", destacou.

Além das frutas, os consumidores produtos como queijos, salames, vinhos, geleias de pimenta e sucos de uva. A abertura oficial da colheita foi realizada no dia 12 de novembro na propriedade de Valdomiro dos Santos, localizada na Estrada Cristiano Kraemer, no bairro Campo Novo, na zona Sul da Cidade. A propriedade tem 3,5 hectares cultivados com mil árvores frutíferas de pêssegos, ameixas, uvas e nectarinas.

O secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Eduardo Cidade, disse que o objetivo da mudança para o Centro Histórico foi de valorizar o evento é dar ainda mais evidência à cultura do pêssego - atividade que ocupa pelo menos 20 hectares na zona rural de Porto Alegre. “A Festa do Pêssego costumava ser realizada na zona Sul, mais próxima das áreas produtoras. Porém, entendemos que chegou a hora de trazê-la para o coração da cidade, ao lado de um dos principais símbolos da nossa diversidade econômica e cultural, que é o Mercado Público”, ressaltou.

A Festa do Pêssego é também um meio de comercialização direta do produtor para o consumidor, o que contribui para proporcionar alimentos de alta qualidade a preços competitivos. “Porto Alegre é uma das maiores produtoras de pêssego de mesa do Brasil. É muito importante que tenhamos estes espaços de comercialização, tanto para o escoamento da produção quanto para a oferta de um alimento de qualidade”, explicou o coordenador de Fomento de Atividades da SMDE, Oscar Pellicioli.


A Emater/RS prevê que para este ano a colheita de pêssego em Porto Alegre deverá atingir 125 toneladas - o que vai representar um crescimento de 4% em relação à safra passada. A primeira Festa do Pêssego da Capital foi organizada em 1984 por um grupo de produtores interessados em ampliar o mercado consumidor e incentivar a fruticultura.