GHC finaliza centro de triagem para desafogar emergência na pandemia
capa

GHC finaliza centro de triagem para desafogar emergência na pandemia

Estrutura poderá atender demanda de infectados pelo novo coronavírus

Por
Felipe Samuel

Estrutura conta com consultórios, triagens, recepção e equipamentos

publicidade

Para desafogar a emergência do Hospital Nossa Senhora da Conceição (HSNC) e evitar que pacientes suspeitos do novo coronavírus sejam atendidos no local, o Grupo Hospitalar Conceição (GHC) concluiu nesta quinta-feira as instalações de um novo centro de triagem na zona Norte de Porto Alegre. Localizada próxima ao hospital, a estrutura de 1,5 mil metros quadrados, onde funciona o Centro de Educação Tecnológica e Pesquisa em Saúde (CETPS) do GHC, na avenida Francisco Trein, foi ampliada para atender a possível demanda de infectados pela Covid-19.

Responsável pela montagem do novo centro de triagem e coordenador do CETPS, Abrahão Arús explica que os usuários vão entrar e passar por uma triagem junto ao setor de enfermagem. Quem tiver sintomas do novo coronavírus passará por consulta médica. O objetivo é evitar que o paciente se dirija à emergência do hospital. “Se necessitar de estabilização, foi construída uma espécie de emergência para que depois se transporte por ambulância para o hospital para internação”, justifica.

A estrutura conta com quatro consultórios, duas triagens da enfermagem e uma recepção, e equipamentos como desfibrilador, maca, respirador, monitores e medicamentos. Ao chegar ao local, o paciente vai receber máscara antes de fazer o cadastro e seguir, se necessário, para consulta. “Em torno de 20 profissionais vão trabalhar aqui”, destaca, acrescentando que os pacientes que não apresentarem 'sintomas e quadro completo' receberão folder com orientações para ficar em casa, de quarentena, e evitar circular.

Prevendo aumento da demanda por serviços de emergência, o centro de triagem - que será aberto ao público após avaliação conjunta com as secretarias de saúde - também vai contar com tendas fornecidas pelo Exército, que serão instaladas no estacionamento. “Estamos aguardando a montagem das barracas. As tendas vão servir como plano B se aumentar a demanda, pois temos que estar preparados”, avalia. Os profissionais que vão trabalhar no local ainda vão passar por treinamento. “Em casos graves, haverá ambulância de prontidão para levar para o Conceição ou outro hospital do grupo”.