Hospital Fêmina inaugura sala de vacinas para mulheres, pacientes oncológicos e mães soropositivas

Hospital Fêmina inaugura sala de vacinas para mulheres, pacientes oncológicos e mães soropositivas

Toda a equipe já foi treinada e espera atender inicialmente cerca de 90 pacientes por semana

Correio do Povo

Iniciativa poderá ser ampliada a outras unidades do GHC em breve

publicidade

Com o objetivo de qualificar a integralidade da atenção e aumentar a adesão das pacientes às vacinas, foi inaugurada nesta terça-feira, a sala de vacinas da Infectologia do Hospital Fêmina, pertencente ao Grupo Hospitalar Conceição (GHC), em Porto Alegre. O espaço, que será um Hospital-dia, é destinado a pacientes oncológicos, mulheres e mães soropositivas e crianças expostas ao HIV.

O serviço também, terá como público-alvo as pacientes da Infectologia, Oncologia e Obstetrícia e disponibiliza as vacinas contra a Difteria/Tétano (dT), Difteria/Tétano/Coqueluche Adulto (dTPa), Febre Amarela (FA), Gripe/Influenza, Haemophilus influenzae B (HIB), Hepatite A, Hepatite B, Meningocócica C, Papiloma vírus humano (HPV), Pneumocócica 13 valente (Pneumo 13), Pneumocócica 23 valente (Pneumo 23), Sarampo/Caxumba/Rubéola (Tríplice viral) e Varicela.

De acordo com a gerente de Administração do Hospital Fêmina, Cristiane Velasquez da Veiga Ciulla, a novidade dá vazão à tradição do hospital de contemplar a saúde da mulher. “É uma oportunidade de auxiliar no tratamento. Um investimento do grupo que facilita o cuidado com o usuário SUS. Desta forma, a paciente consegue ficar concentrada apenas em um local”, explica. “É um marco para a saúde de Porto Alegre e do RS”, completa. A Sala de Vacinas está adequada às normas do Ministério da Saúde, possuindo também sistema informatizado. Toda a equipe já foi treinada e espera atender inicialmente cerca de 90 pacientes por semana.

Conforme o infectologista do Hospital Fêmina Mário Peixoto, a ideia é possibilitar às pacientes colocarem o calendário vacinal em dia de forma mais acessível e confortável. “Um diferencial do Hospital Fêmina é a sua resolutividade. A paciente encontra no hospital o que necessita para sua assistência em saúde”, disse. A gerente de Internação do Hospital Fêmina, Margarete Ribeiro Duarte da Rosa, ao parabenizar a equipe, disse que será avaliada futuramente a possibilidade de ampliar a iniciativa para as demais unidades do GHC.

Presente na ocasião, o diretor-presidente do GHC, Cláudio Oliveira, ressaltou a satisfação com mais esse serviço sendo entregue à comunidade. “Ficamos honrados e alegres com os resultados que viemos tendo para os pacientes e funcionários. Queremos seguir com esses resultados”, falou. Também participaram da inauguração o diretor técnico do GHC, Francisco Paz, o diretor-administrativo e financeiro, Moises Prevedello, além de funcionários.


Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895