Mar causa estragos no Litoral Norte após vendaval

Mar causa estragos no Litoral Norte após vendaval

Depois do ciclone, foi a vez da ressaca ocasionar transtornos em cidades como Tramandaí

Por
Gabriel Guedes

Estragos foram registrados na orla de Tramandaí


publicidade

Após o vendaval provocado pelo ciclone extratropical entre a noite de terça-feira e a manhã de quarta-feira, a quinta-feira foi marcada pela fúria do mar. A ressaca provocada pelo fenômeno meteorológico já era previsto pela Marinha, que emitiu alerta aos navegantes sobre o risco de ondas de 3 a 4 metros entre o Chuí e Florianópolis (SC). Em vários pontos da orla do Litoral Norte houve mais registro de prejuízos.

No dia anterior, os ventos de até 95 km/h provocaram quedas de placas, árvores e postes, além de destelhar muitas casas e até mesmo o Hospital de Tramandaí. Conforme a CEEE, até o começo da tarde desta quinta-feira, ainda restavam pelo menos 29 mil clientes sem energia elétrica na região, concentrados em Cidreira, Imbé, Três Cachoeiras e Torres.

Em Imbé, o grande avanço do mar ficou evidente no Guia Corrente, junto à Barra do Rio Tramandaí. Pedaços de concreto da estrutura foram deslocados, e até mesmo pedras do calçamento de paralelepípedo foram levadas pelo mar.

Em Tramandaí, trecho do calçadão próximo ao letreiro da cidade, a força das ondas provocou erosão do solo e parte do pavimento acabou cedendo em vários pontos. O mar levou até mesmo parte da areia que estava na área destinada a recomposição das dunas. O mar ainda avançou por dentro da tubulação de esgoto pluvial e alagou ruas próximas à praia. Em Capão da Canoa, de acordo com o coordenador de Defesa Civil, Maurício Porto, houve também erosão de parte do calçadão à beira-mar.

O comandante da agência de Tramandaí da Capitania dos Portos, capitão de corveta Darcy Dalbon afirma que a ressaca ainda prossegue até pelo menos a noite desta sexta-feira, com ondas entre 3 e 4 metros de altura na faixa litorânea gaúcha. “O Centro de Hidrografia da Marinha havia divulgado previamente a previsão de ressaca e mau tempo. Com isso, encaminhamos para as colônias de pesca, agências de navegação e terminais marítimos. Mas essa está sendo uma das mais intensas”, classifica.

Campanha

O Hospital de Tramandaí, que sofreu um destelhamento e ficou sem uma parte onde atendia 10 pacientes, está com uma campanha de arrecadação de recursos para auxiliar na reconstrução. Aceita-se doações de materiais de construção - como telhas, madeiras, pregos, tijolos, cimento e calhas, que podem ser feitas diretamente na sede da instituição.


Quem preferir ajudar com dinheiro, pode colaborar depositando diretamente na conta do hospital (Banco do Brasil, agência 2672-7, conta 57.171-7 e CNPJ 13.183.513/0002-08). “Fizemos uma força-tarefa, por que a prioridade para nós é o hospital”, garante o prefeito de Imbé, Pierre Emerim, que junto com a Prefeitura de Tramandaí, está engajado no restabelecimento pleno da estrutura.