Mesmo com o comércio fechado, movimento de pessoas é intenso no Centro de Porto Alegre

Mesmo com o comércio fechado, movimento de pessoas é intenso no Centro de Porto Alegre

Ambulantes seguem vendendo seus produtos, mesmo com a fiscalização dos órgãos de segurança

Cláudio Isaías

Mesmo com a bandeira preta e comércio fechado, a movimentação no Centro de Porto Alegre foi intenso na manhã desta segunda-feira

publicidade

Mesmo com o comércio de rua fechado, o movimento de pessoas no Centro Histórico de Porto Alegre seguiu intenso na manhã de segunda-feira. Impedidos de entrar nas lojas para conferir as ofertas e promoções, os pedestres circulavam pela rua da Praia, e pelas avenidas Borges de Medeiros e Salgado Filho para conferir os produtos oferecidos pelos ambulantes. Outras pessoas aproveitavam para ficar no entorno das lancherias e bares da região central.

A presença da Guarda Municipal e da Brigada Militar para evitar aglomerações impediu que os camelôs expusessem seus produtos eletrônicos e roupas na rua da Praia. As viaturas das duas corporações circulavam a todo o momento pela rua do Andradas até quase a rua General Câmara.

Policiais militares e guardas municipais que estavam na Esquina Democrática (avenida Borges de Medeiros com a rua dos Andradas) controlavam o fluxo de pedestres e o comércio. Na avenida Salgado Filho, como tradicionalmente acontece os ambulantes ofereciam frutas e verduras para as pessoas que desembarcavam dos ônibus no terminal. O comandante da Guarda Municipal, Marcelo Nascimento, informou que a fiscalização continuará enquanto o decreto estiver em vigência.

Com relação aos ambulantes, com a intensão de evitar aglomerações, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo, informou que segue com a fiscalização nas ruas para coibir a comercialização de mercadorias ilegais. Na manhã desta segunda-feira, mesmo com a fiscalização da prefeitura, a presença de ambulantes no Centro Histórico de Porto Alegre seguiu intensa.

Na região, foi possível encontrar os ambulantes comercializando brinquedos, roupas, máscaras para proteção contra a Covid-19, produtos eletrônicos e acessórios para telefones celulares e computadores.

Na rua dos Andradas, com a presença da Guarda Municipal e da Brigada Militar os camelôs acabaram mudando de local. Porém, com a saída dos agentes da Guarda e da BM eles colocavam seus produtos expostos na frente das lojas. Também havia ambulantes concentrados na avenida Borges de Medeiros.

Na manhã de segunda-feira, a rua Voluntários da Pátria foi um dos locais que chamou a atenção pela aglomeração de pessoas, principalmente, entre a Praça Parobé até a rua Doutor Flores. Neste trecho, os vendedores ambulantes ofereciam todo o tipo de produtos. Mesma situação aconteceu no Largo Glênio Peres, onde os camelôs comercializavam frutas e verduras.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895