Novo aplicativo vai conectar abrigos de Porto Alegre com possíveis doadores

Novo aplicativo vai conectar abrigos de Porto Alegre com possíveis doadores

Desenvolvido pela PUCRS com apoio de parceiros, Adote um Amanhã deve ser finalizado ainda neste ano

Felipe Faleiro

Nilson Queiroz, presidente da Sucesu/RS, apresentou as funcionalidades do aplicativo

publicidade

Um aplicativo para conectar abrigos que auxiliam crianças e adolescentes em acolhimento institucional em Porto Alegre, com pessoas físicas e jurídicas dispostas a auxiliar estas entidades. É a intenção da aplicação "Adote um Amanhã", apresentada nesta segunda, no Auditório do Centro Esportivo da PUCRS. O desenvolvimento é feito pela universidade, com apoio da Associação dos Usuários de Informática e Telecomunicações do Rio Grande do Sul (Sucesu/RS), Prefeitura de Porto Alegre e Ministério Público do RS (MPRS). O lançamento também coincide com o Dia Nacional da Adoção, celebrado na próxima quarta-feira.

Estiveram presentes no evento membros da Fundação de Assistência Social e Cidadania de Porto Alegre (Fasc) e Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA), assim como gestores, monitores e jovens acolhidos de abrigos. “Por este aplicativo, você pode tanto visualizar o que é pedido pelas crianças quanto pelas casas-lares, ou seja, pedidos individuais ou coletivos. Também é possível fazer uma doação de quaisquer bens que sejam”, afirma Cinara Vianna Dutra Braga, promotora de Justiça da Infância e Juventude de Porto Alegre. 

A apresentação do protótipo do aplicativo esteve a cargo de Nilson Ayala Queiroz, presidente da Sucesu/RS. Espera-se que o mesmo seja disponibilizado para download gratuito para os sistemas Android e iOS no segundo semestre deste ano. “A adoção é uma questão social importante. A partir do momento em que você realiza um evento como este e toca o coração das pessoas, as empresas se sentem dispostas a ajudar. Todos estão muito empolgados com as possibilidades da aplicação”, afirma Queiroz.

Atualmente, há 738 crianças e adolescentes na rede de acolhimento institucional em Porto Alegre, que soma 71 abrigos e casas-lares. Por meio da aplicação, os locais poderão cadastrar o que precisam, como uma consulta psicológica para algum jovem abrigado ou um item. Há filtros também para facilitar este processo de cadastro. Já os doadores podem pesquisar as necessidades, adicionar novas e administrar as doações que já fez. 

A ideia é que esta ferramenta venha a agregar com o Aplicativo Adoção, também desenvolvido pela PUCRS, com apoio do MPRS e do Poder Judiciário gaúcho, e que já foi responsável por encontrar uma nova casa para 98 crianças e adolescentes desde seu lançamento em 2018. Entre os gestores dos abrigos, há empolgação com esta nova funcionalidade. “Este projeto que está sendo lançado hoje pode vir a somar e a qualificar muitos serviços. Há várias possibilidades de ajudar, podendo auxiliar em atendimento de saúde e até alimentação”, explica Camila Monteiro Martins, coordenadora das casas-lares do Abrigo João Paulo II.

O local atende cerca de 200 jovens em Porto Alegre e Viamão. Após a apresentação da aplicação, os jovens que acompanharam o painel participaram de atividades lúdicas nos espaços do Centro Esportivo da universidade. Brincadeiras, jogos, esporte e muita diversão foram proporcionados às crianças e adolescentes, a partir das orientações de professores da PUCRS.


Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895