Obras de Porto Alegre serão retiradas do PAC da Copa

Obras de Porto Alegre serão retiradas do PAC da Copa

Investimentos farão parte do programa de Mobilidade Urbana do governo federal

Correio do Povo e Rádio Guaíba

Prefeito anunciou a retirada das obras de Porto Alegre do PAC

publicidade

Em meio aos protestos contra o reajuste das tarifas de transporte coletivo no País e contra os gastos públicos com a Copa do Mundo, o prefeito José Fortunati anunciou na manhã desta terça-feira que as obras em andamento em Porto Alegre sairão do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) da Copa do Mundo e farão parte do PAC de Mobilidade Urbana. "Assim vamos trabalhar sem pressão. Os manifestantes não poderão mais dizer que são obras para a Copa. São obras para a cidade", sintetizou Fortunati.

De acordo com Fortunati, com as obras fora do pacote da Copa, a cidade não ficará à margem dos manifestantes. "Não temos mais qualquer compromisso de entregar essas obras - não ficaremos à mercê de chantagens como ocorreu com areias, nos corredores de ônibus. Vamos acabar com qualquer tipo de chantagem e de pressão para a Copa do Mundo," explicou.

O prefeito, porém, ressaltou que não haverá mudanças no cronograma das obras. “Não haverá qualquer alteração de cronograma ou execução das obras. Essa decisão acordada com o governo federal demonstra que as intervenções hoje em Porto Alegre não visam apenas a Copa do Mundo, mas fundamentalmente preparar um futuro melhor para a cidade”, avaliou Fortunati.

O PAC 2 é um projeto do governo federal responsável pelas obras de melhorias em algumas capitais e nas cidades-sede da Copa do Mundo de 2014. Estão sendo investidos recursos em metrôs, Bus Rapid Transit (BRTs), corredores de ônibus, veículos leves sobre trilhos e aeromóvel. Na Capital, estão incluídos também os trabalhos de reforma no Aeroporto Internacional Salgado Filho.

Fortunati propõe redução da tarifa de ônibus para R$ 2,80

Também nesta terça-feira, Fortunati afirmou que vai tentar reduzir o valor da passagem de ônibus para R$ 2,80. O preço está congelado em R$ 2,85 por liminar da Justiça, que derrubou em abril o aumento para R$ 3,05, sancionado em março.

O prefeito irá encaminhar um projeto de lei (PL) à Câmara de Vereadores, que isenta o Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISSQN) da passagem de ônibus. “O que estou apresentando é uma isenção do ISS de 2,5%. Assim, sem o Pis/Cofins proposto pelo governo federal e, levando as considerações do Tribunal de Contas do Estado (TCE), poderemos, assim que o Tribunal de Justiça decidir sobre a passagem de ônibus, reduzi-la a R$ 2,80”, detalhou.

Fortunati também irá propor ao governo do Estado a isenção do Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) do óleo diesel para o transporte coletivo. Se a proposta for aceita pelo governador Tarso Genro, a tarifa pode chegar a R$ 2,75.

Bookmark and Share

Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895