Ocupação de leitos de UTI segue acima de 90% em Porto Alegre

Ocupação de leitos de UTI segue acima de 90% em Porto Alegre

Santa Casa fez uma convocação à população para evitar um possível lockdown

Felipe Samuel

Ocupação de leitos de UTI segue acima de 90% em Porto Alegre

publicidade

A ocupação dos leitos de UTIs nos hospitais da Capital atingiu ontem 92,05% da capacidade total. Dos 672 internados, 269 testaram positivo para o novo coronavírus e 41 eram suspeitos. Os hospitais Moinhos de Vento, Porto Alegre e Restinga registravam 100% de ocupação dos leitos. Outros hospitais registraram taxas de ocupação acima de 90%, como Clínicas (97,33%), Conceição (93,33%) e Cristo Redentor (94,87%). 

No Rio Grande do Sul, conforme a Secretaria Estadual de Saúde (SES), a taxa de ocupação de leitos de UTI chegou a 76,5% no final da tarde, com 1.756 pacientes internados. Dos 47.113 casos confirmados, 40.533 (86%) estão recuperados. Na Capital, preocupada com aumento de internações nos leitos de UTI, a Santa Casa de Porto Alegre fez convocação à população para evitar o lockdown. Até o final da tarde de ontem, a instituição registrava 89,91% de ocupação de leitos de UTI. Dos 98 enfermos, mais da metade (51) era de pacientes confirmados (44) ou suspeitos (7) de contrair a Covid-19.
 
Em comunicado, a instituição informa que no final do mês de julho deve concluir a disponibilização de 88 leitos de UTI exclusivos para o tratamento de pacientes da Covid-19, uma vez que já estão em pleno uso 56 leitos de UTI. Até 31 de julho, serão entregues mais 32 leitos. "Com todos os esforços realizados, diante da perspectiva de esgotamento da capacidade assistencial e do cenário de claro desgaste das equipes de saúde de todas as instituições assistenciais da cidade, a instituição convoca a população de Porto Alegre e Região Metropolitana a unir-se num esforço conjunto para conter a disseminação do vírus e evitar o lockdown, medida mais radical que se avizinha", destaca trecho da nota.

Diretor médico da instituição, Antonio Kalil, afirma que a Santa Casa está fazendo todos os esforços viáveis com os recursos disponíveis. "Não queremos sequer imaginar um cenário de desassistência à população e chegarmos ao extremo de termos que fazer escolhas de quem sobreviver", afirma. Ele reforça que a Santa Casa não quer deixar de acolher e cuidar da saúde da população. "É preciso que todos façam a sua parte. Convocamos a todos para uma ação conjunta. Não dá mais para esperar”, alerta.

O diretor técnico do Grupo Hospitalar Conceição, Francisco Zancan Paz, explica que os números de internação em leitos de UTI têm se mantido acima dos 90%. "É muito importante que as pessoas façam prevenção. Cada um deve cuidar dos seus contatos e dar sua participação no esforço para evitar que haja aumento no número de casos", afirma. "Não sentimos resultado do distanciamento nas internações, porque a demanda continua sendo mais ou menos a mesma todos os dias", completa.
 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895