Operação Inverno de Porto Alegre acolhe 532 pessoas em vulnerabilidade social

Operação Inverno de Porto Alegre acolhe 532 pessoas em vulnerabilidade social

Grupo utilizou diversas estruturas de pernoite na Capital, entre elas o ginásio Gigantinho

Correio do Povo

Grupo utilizou diversas estruturas de pernoite na Capital, entre elas o ginásio Gigantinho

publicidade

Em mais uma noite gelada em Porto Alegre, 532 pessoas aceitaram o acolhimento disponibilizado pela prefeitura no reforço da Operação Inverno. A maior parte são os que, desde terça-feira, 27, estavam utilizando a estrutura montada no Gigantinho.

De acordo com a Prefeitura, nesta sexta-feira, 58 pessoas pernoitaram no ginásio do Internacional, 195 nos albergues e abrigos, 210 nas pousadas e 69 nas paróquias disponibilizadas pela Arquidiocese de Porto Alegre. A Fundação de Assistência Social e Cidadania (Fasc) aumentou 50 vagas nas pousadas, totalizando 250.

“Iniciamos a transição dos atendidos no Gigantinho para as paróquias. Temos 125 vagas para acolhimento, extra rede, por mais alguns dias”, afirma o titular da SMDS, Léo Voigt. A força-tarefa da prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (SMDS), envolve a administração municipal e sociedade civil para ampliar a estrutura da Operação Inverno, com acolhimento extraordinário no Gigantinho e outros espaços.

Na manhã de sábado, um grupo de pessoas em situação de vulnerabilidade social permaneceu no ginásio do Internacional. Os moradores de rua em situação de vulnerabilidade social que dormiram no local tiveram novamente a companhia de cães. Eles foram levados ao local por conta do frio e da queda na temperatura. No começo da manhã de sábado, um café foi oferecido as pessoas em situação de rua. Logo após, as equipes da Fasc começaram a encaminhar alguns grupos para paróquias, pousadas e os idosos para casas lares. O último café da manhã no Gigantinho será servido na manhã de domingo.

Doações

A prefeitura solicita que as doações de agasalhos e cobertores devem ser feitas através do Movimento Poa que Doa, programa social coordenado pelo gabinete da primeira-dama de Porto Alegre, que reúne as campanhas do agasalho e do alimento 2021. O objetivo é atender pessoas em situação de vulnerabilidade social. Os donativos podem ser entregues em 17 pontos de coleta espalhados pela cidade e em drive-thrus de vacinação. Além da doação de cobertores, as pessoas podem doar alimentos e produtos de higiene pessoal para atender à demanda da população em vulnerabilidade social.

Com o reforço da Operação Inverno e o acolhimento das pessoas em situação de rua na rede organizada pela prefeitura (albergues, pousadas, paróquias e Gigantinho), existe a necessidade maior deste tipo de doação. “Neste momento estamos com um grande número de agasalhos e nossa maior necessidade são cobertores, alimentos e produtos de higiene. Somos gratos pela solidariedade e apoio dos porto-alegrenses”, destacou a primeira-dama Valéria Leopoldino. Os locais de doação podem ser conferidos neste link.

No Gigantinho, as pessoas em situação de vulnerabilidade social tiveram acesso oficinas e rodas de conversa promovidas por três Centros POPs para os usuários que permaneceram durante o dia na estrutura. A equipe do consultório de rua da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) realizou o atendimento dos usuários que permanecem no Gigantinho. A Cruz Vermelha e SOS Unimed prestaram apoio voluntário. O Sine Municipal realizou o cadastro das pessoas que estavam no ginásio colorado para encaminhamento a entrevistas de emprego. 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895