Prefeitura assina ordem de início da revitalização de ruas do Centro Histórico de Porto Alegre

Prefeitura assina ordem de início da revitalização de ruas do Centro Histórico de Porto Alegre

Começo das obras foi adiado para maio, para atender comerciantes por conta do Dia das Mães

Felipe Samuel

publicidade

Os comerciantes que atuam no Centro Histórico vão perceber as primeiras movimentações de trabalhadores envolvidos nas obras do projeto de revitalização do Quadrilátero Central a partir de 9 de maio, quando começará a ser instalada - na avenida Borges de Medeiros - a estrutura que vai abrigar o canteiro de obras. Mas o início das intervenções na avenida Otávio Rocha, e nas ruas Voluntários da Pátria e Andradas - que serão as primeiras revitalizadas - deve ocorrer apenas em junho, uma vez que a montagem do canteiro de obras deve levar 30 dias. 

Devido a um pedido dos comerciantes, a prefeitura decidiu adiar o começo das obras, inicialmente previsto para esta sexta-feira. A justificativa é o aumento de circulação na região por conta do Dia das Mães, segunda data mais forte de vendas do comércio. Ao assinar nesta quinta-feira a ordem de início para execução do projeto, em ato no Paço Municial, o prefeito Sebastião Melo admitiu que o começo das melhorias na infraestrutura pode causar transtornos aos comerciantes e moradores da região. "O comerciante vai perder um pouco agora, é verdade, mas vai lá na frente repor enormemente essa perda que ele teve. Com relação aos usuários, nós temos ainda cerca de 350 mil pessoas que passam pelo Centro", observa. 

Para minimizar os transtornos à população, Melo lembra que as obras vão ser realizadas por 'canteiros'. Ao todo, estão previstas obras em oito vias: General Vitorino, Doutor Flores, Vigário José Inácio, Marechal Floriano, Andradas, Otávio Rocha, Voluntários da Pátria e Borges de Medeiros. "A gente vai ter que compor uma maneira dessas pessoas que andam pelo Centro e ter o seu dia a dia funcionando", afirma. A ideia é criar uma comissão de obras pra cada rua. As primeiras reuniões devem ser realizadas nos próximos dias. Melo avalia ainda a possibilidade de criar duas comissões para tratar das obras da Rua dos Andradas. 

Assinatura da autorização para o início das obras ocorreu nesta quinta-feira | Matheus Piccini

Conforme o prefeito, as obras serão realizadas também nos finais de semana e durante a noite. Questionado sobre possíveis transtornos no acesso a determinadas partes da região, ele afirma que as obras são necessárias e aguardadas há muito tempo pela população. "O transtorno provisório sempre tem que mirar num benefício permanente", observa. Melo salienta que as discussões sobre a revitalização das calçadas do Centro Histórico devem ganhar força nos próximos meses. "Tem muitas cidades no mundo inteiro que o poder público faz a calçada e consequentemente ele tem que mandar na conta do IPTU", sustenta. 

Ele afirma que a prefeitura deve tomar a decisão de fazer as calçadas. "Vamos tentar esgotar de convencer as pessoas a fazerem mudanças nas suas calçadas", completa. "É muito mais barato, muito mais razoável, muito mais extraordinário que os proprietários possam fazer as suas calçadas, porque eles vão poder contratar privadamente. E quando uma obra é privada, ela é mais barata", avalia. A arquiteta Isabel Haifuch, da Secretaria de Planejamento e Assuntos Estratégicos (SMPAE), explica que os paralelepípedos da avenida Otávio Rocha e da Rua dos Andradas - entre a Marechal Floriano e Doutor Flores - serão retirados e recolocados nivelados. 

Ela explica que a ideia é garantir desenvolvimento econômico e sustentabilidade, como instalação de mobiliário urbano padronizado e acessibilidade universal. A revitalização da região será fiscalizada pela Secretaria de Obras e Infraestrutura (SMOI). O diretor de Obras e Projetos Viários da SMOI, José Carlos Keim explica que as intervenções devem começar após a instalação do canteiro de obras na avenida Borges de Medeiros. "O início das obras nas vias deve começar em junho. "Começando pelo Otávio Rocha, Voluntários da Pátria, 'no corredor', e a Andradas. O Dmae já está também trabalhando pela General Vitorino. Conforme o Dmae for avançando, nós vamos atrás", destaca. Segundo Keim, a primeira revitalização a ser concluída é da avenida Otávio Rocha, que deve levar 90 dias. 

O Departamento Municipal de Água e Esgoto (Dmae) já iniciou as obras de revitalização da canalização de água na região, que devem afetar algumas ruas do Centro Histórico, como a Rua dos Andradas e Doutor Flores. Apesar de não fazer parte deste projeto de revitalização do Quadrilátero Central, o Dmae informa que serão instalados 4 mil metros de canalização das redes de abastecimento de água. A conclusão dessas obras vai permitir a continuidade da ampliação de calçadas e melhorias na pavimentação.

Serão R$ 16 milhões em investimentos tomados a partir de um financiamento do Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF) destinado ao programa Orla POA. O Consórcio RGS/Elmo/AGR será responsável pelas obras. 


Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895