capa

Prefeitura inicia unificação das informações registradas em unidades de saúde de Porto Alegre

Administração municipal tem o mapeamento integrado das ações da atenção primária para a gestão de políticas

Por
Cláudio Isaías

Além de gerenciar o atendimento médico com mais eficiência, projeto visa acompanhar dias e horários de pico e índices de resolutividade

publicidade

A prefeitura está unificando as informações registradas nas unidades de saúde de Porto Alegre. Com a medida, é possível acompanhar os dados consolidados dos atendimentos individuais e odontológicos, os procedimentos e visitas domiciliares em tempo real, além de gerenciar o atendimento médico com mais eficiência, acompanhar dias e horários de pico e índices de resolutividade, que é a solução dos casos dos pacientes que procuram as unidades. Pela primeira vez, a administração municipal tem o mapeamento integrado das ações da atenção primária para a gestão de políticas.

“É um divisor de águas para a gestão da área”, destaca o coordenador de Atenção Primária da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), Thiago Frank. Isso só está sendo possível graças à parceria entre a Companhia de Processamento de Dados do Município de Porto Alegre (Procempa), que construiu a solução utilizando inteligência artificial (IA) e Big Data, e a SMS que finalizaram recentemente “estudo exploratório” sobre os dados da atenção primária na Capital.

A ação extraiu os dados do e-SUS, que é um software do Ministério da Saúde utilizado para registrar os atendimentos das unidades de saúde, e possibilitou a consolidação das informações de forma a propiciar uma visão única da atenção primária municipal. Foi criada uma equipe multidisciplinar que envolveu especialistas em Big Data da Procempa, responsáveis por consolidar o grande volume de dados de atendimentos e realizar a exploração a partir do conhecimento e orientação dos especialistas em atenção primária da Secretaria Municipal de Saúde, garantindo assim a fidedignidade da informação.

Na sequência, foram agregadas novas fontes de dados às já existentes, possibilitado a criação de visualizações ainda mais completas e complexas, de maneira que seja possível para o gestor municipal gerenciar eficientemente o atendimento médico nas unidades.

“É um trabalho inovador e desafiador em que são empregados os conhecimentos de negócio da atenção primária, aliados às mais modernas tecnologias preditivas de dados, visando a oferecer uma melhor qualidade da saúde à população de Porto Alegre. A continuidade do trabalho se dará com um aprofundamento maior na exploração dos dados, buscando correlações entre regiões da cidade e patologias mais comuns, com o objetivo de evitá-las”, afirma o supervisor de Big Data da Procempa e responsável pelo projeto, Marcus Kassick.