Prefeitura inspeciona emissão de poluentes pela frota da EPTC
capa

Prefeitura inspeciona emissão de poluentes pela frota da EPTC

Iniciativa busca incentivar população a realizar revisões periódicas

Por
Karina Reif / Correio do Povo

publicidade

A Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) levou nesta segunda-feira 17 carros de sua frota para fazer uma inspeção da emissão de poluentes na Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), em Porto Alegre. O objetivo, segundo a responsável pela Coordenação-Geral da Vigilância em Saúde Ambiental (CGVAM), Silvana Marzulo, é conscientizar a população, que deve fazer revisões periódicas nos veículos e, assim, minimizar um dos maiores fatores de poluição nas grandes cidades. “Se o carro não está regulado, polui o ar e prejudica a saúde das pessoas”, explicou.

A atividade faz parte do Programa de Vigilância de Populações Expostas a Poluentes Atmosféricos (VigiAr), do qual Silvana também é coordenadora. A próxima ação está prevista para o dia 24 de novembro, quando ocorrerá um mutirão, na rua Voluntários da Pátria, próximo à Arena do Grêmio, na Capital. No local, serão feitas inspeções nos veículos da comunidade.

Conforme o coordenador da Inspeção Veicular da EPTC, Ivo Hoerlle, a verificação nos veículos do público em geral é feita de acordo com a demanda. No momento, a inspeção está suspensa, mas pode ser retomada caso haja muita procura dos motoristas. Informações podem ser obtidas pelo telefone 118.

A inspeção é realizada com um equipamento analisador de gases, que capta com uma sonda o material expelido pelo escapamento do veículo. Técnicos em mecânica verificam as condições do motor e a diluição do combustível para identificar se está no limite aceitável. Caso não esteja, o condutor precisa fazer a adequação do automóvel.

Dentro das atividades do programa, na última quarta-feira o pneumologista Carlos Tiethoehl fez uma palestra na sede da Gerência Distrital sobre “Doenças respiratórias e cardíacas associadas à poluição atmosférica: aspectos clínicos, epidemiológicos e ambientais”, destinada a profissionais dos serviços de saúde (médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem) e líderes comunitários. Uma das formas de medir o grau de poluição na cidade é através das doenças respiratórias identificadas na população. Atualmente, três Postos de Saúde da Família (PSF), em Porto Alegre, fazem relatórios sobre o problema e, com isso, a SMS observa a qualidade do ar indiretamente. O PSF Mário Quintana, no Humaitá, o Cidade de Deus, no bairro Cavalhada, e o Ponta Grossa, no Extremo Sul, funcionam como Unidades Sentinelas do programa.

Bookmark and Share