Prestes a entrar em greve, trabalhadores voltam a se mobilizar contra terceirização da saúde básica

Prestes a entrar em greve, trabalhadores voltam a se mobilizar contra terceirização da saúde básica

Ato ocorreu em frente à sede do Tribunal Regional do Trabalho nesta terça-feira

Felipe Samuel

Trabalhadores de saúde protestaram por melhores condições de trabalho

publicidade

Os trabalhadores do Instituto Municipal de Estratégia de Saúde da Família (Imesf) voltaram a se mobilizar nesta terça-feira em frente à sede do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 4ª Região. O ato "Luz para a Justiça" repete manifestação da categoria realizada na semana passada, quando os servidores da saúde demonstraram apoio ao trabalho do Ministério Público do Trabalho (MPT), que concedeu liminar que impede a substituição dos 1,3 mil funcionários do Imesf. 

Conforme o Sindisaúde-RS, após votação da categoria, os funcionários vinculados ao Imesf decidiram entrar em greve a partir desta quarta-feira. A paralisação será por três dias e vai até sexta-feira. O presidente da entidade, Julio Jensien, explica que a mobilização tem por objetivo pressionar a Justiça Estadual a analisar liminar contra a extinção do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), que determina que a prefeitura não efetue a terceirização da saúde básica ou faça a rescisão dos contratos de trabalho do Imesf enquanto a liminar seguir em vigor.

Na avaliação de Jensien, a decisão de primeiro grau extrapola a solicitação das partes. "Por conta disso entramos com recursos no TRT e aguardamos decisão. Imaginamos que possa acontecer nessa semana", observa. Ele reforça que a mobilização marca o início da greve da categoria, que poderá afetar o atendimento à população nos postos de saúde que ainda estão sob administração do Imesf. "Outras pessoas receberam comunicado de aviso prévio", completa.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895