Primavera terá fenômeno La Niña e chuvas abaixo da média

Primavera terá fenômeno La Niña e chuvas abaixo da média

Conforme a Metsul, estação das flores, que tem início hoje, pode ter geada tardia

Felipe Samuel

Primavera deve ter períodos mais longos de tempo seco sem a ocorrência da instabilidade

publicidade

A primavera inicia nesta quinta-feira, às 22h04min, e deve ser marcada mais uma vez pela instalação de um novo episódio do fenômeno climático La Niña - que é o resfriamento do oceano Pacífico Equatorial. Mesmo com o fim do inverno e o começo da estação das flores, a meteorologista Estael Sias, da Metsul Meteorologia, adverte para as consequências do La Niña durante a nova estação e a possibilidade de chuvas abaixo da média.

“Temos duas consequências principais no Rio Grande do Sul. Ainda uma grande variabilidade na temperatura, ou seja, períodos curtos de frio ainda podem ocorrer, até mesmo com geada tardia. Esse é um ano, de novo, com alto risco de uma geada tardia que pode representar risco para o setor agrícola, para o fumo, para o trigo, e dependendo do milho também em que época foi semeada”, alerta. 

Estael afirma que a primavera deve ser marcada pela redução da chuva. “No passado, a chuva 'cortou' em outubro. Esse ano também poderemos ter uma primavera com chuva abaixo da média, com períodos mais longos de tempo seco sem a ocorrência da instabilidade, o que pode também trazer prejuízos para o aumento do plantio da soja da safra de verão e, claro, traz preocupação com os nossos reservatórios”, completa. 

Segundo Estael, o verão ainda terá a influência do fenômeno climático La Nina. “Também com tendência de ser mais seco, de ter pouca chuva. Então é um momento de começar a se preparar para os próximos meses em que a chuva deve estar abaixo da média, falhada, irregular e trazendo impactos para o setor econômico e para a sociedade como um todo”, afirma.


Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895