Procura por vacina contra a Covid-19 é intensa neste sábado em Porto Alegre

Procura por vacina contra a Covid-19 é intensa neste sábado em Porto Alegre

Shopping Total oferece imunização para o público de 12 anos ou mais que busca pela 1ª, 2ª ou 3ª dose

André Malinoski

publicidade

As pessoas que não viajaram para o feriado do Dia da Criança puderam aproveitar a manhã desse sábado para serem vacinadas contra a Covid-19, em Porto Alegre. O Shopping Total, no bairro Floresta, ofereceu imunização para o público de 12 anos ou mais de idade, que buscava primeira, segunda e terceira dose.

Um dia depois de o Brasil atingir a marca de 600 mil mortes pela doença contagiosa, a procura do porto-alegrense pela vacina foi intensa. “Tive Covid mesmo depois de ser imunizada com duas doses. Foi complicado porque não tive oportunidade de receber atendimento. Na minha opinião, a Covid é pior do que a lepra”, relatou a aposentada Sheila Ferreira, de 77 anos, que estava na fila do Shopping Total ao lado do marido Sérgio Ferreira, 78.

A fila se estendia em torno das 9h30min do lado externo do shopping, dava voltas nos corredores internos e chegava até uma área de atendimento. A empresária Cristiane Xavier, 35 anos, era uma que esperava para receber a vacina. “Será mais seguro e espero que voltemos ao normal agora”, observou. Vilma Veiga, 60 anos, procurou o local pela terceira dose.

“Não saio muito, mas peguei Covid. Não foi muito severo, porém ainda precisamos ter cuidado. Esta nova cepa de transmissão é muito mais contagiosa”, afirmou. Natan Machado, 21 anos, que aguardava pela segunda dose, alertou que as pessoas “precisam se vacinar para ficarem protegidas.”

O enfermeiro Thiago Homem de Souza, do Posto Glória, auxiliava no serviço de imunização no shopping. “Devemos vacinar mil pessoas hoje. Achamos que a procura seria menor em função do feriado”, disse o profissional. A assistente administrativa Daniela Rambor, 28 anos, estava contente antes de receber a segunda dose. “É uma sensação de mais segurança. Trabalho de casa desde que a pandemia começou e, graças a Deus, não peguei Covid”, comentou.

Veja Também

Os profissionais da saúde de algumas áreas específicas, em parceria com determinadas entidades de classe, receberam a imunização de reforço. Na Associação Médica do Rio Grande do Sul (Amrigs) e no Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (Simers) foram imunizados os médicos, vacinados com a segunda dose até 4 de abril. Na Associação Brasileira de Odontologia (ABO) ocorreu a vacinação para os profissionais da área da odontologia.

Segunda dose

No Shopping Total aconteceu a aplicação da segunda dose da Pfizer, que tem intervalo de aplicação de oito semanas. Pessoas vacinadas até 14 de agosto podem buscar a segunda dose. O intervalo para receber a segunda dose de AstraZeneca/Oxford/Fiocruz e Coronavac/Butantan é de dez semanas e 28 dias, na ordem. Quem recebeu a primeira dose até 31 de julho (AstraZeneca) e 11 de setembro (Coronavac) pôde completar o esquema vacinal.

Dose de reforço

A dose de reforço está liberada para pessoas com 60 anos ou mais vacinadas com a segunda dose até 8 de abril e imunossuprimidos com esquema vacinal completo até 11 de setembro. Por sua vez, os profissionais de saúde que receberam a segunda dose até 4 de abril estão aptos a receber a dose de reforço.

Os critérios para a aplicação da dose de reforço em imunossuprimidos são: pessoas com imunodeficiência primária grave; em tratamento com quimioterapia; transplantados; pessoas vivendo com HIV/Aids; pacientes que usam corticoides em doses maiores do que 20mg/dia de prednisona ou medicamentos modificadores da resposta imune e pacientes em hemodiálise.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895