Professores da rede estadual reivindicam reposição salarial de 45% em Porto Alegre

Professores da rede estadual reivindicam reposição salarial de 45% em Porto Alegre

Ato foi promovido pelo Centro dos Professores do Estado do Rio Grande do Sul

Taís Teixeira

Categoria realizou ato em frente ao Palácio Piratini, em Porto Alegre

publicidade

Professores estaduais protestaram, nesta sexta-feira, para reivindicar a reposição salarial, em frente ao Palácio Piratini, no centro de Porto Alegre. As perdas da categoria são avaliadas em 45% em decorrência dos índices inflacionários. O ato foi promovido pelo Centro dos Professores do Estado do Rio Grande do Sul (Cpers/Sindicato).

Cerca de 400 professores vindo de cidades como Uruguaiana, Santiago, Santa Maria, Bento Gonçalves e Palmeira das Missões, vieram para a capital engrossar o coro pela reposição salarial e também contra a PEC 32/2020, reforma administrativa que altera dispositivos sobre servidores e empregados públicos e, ainda, modifica a organização da administração pública. A votação desta PEC está prevista para o fim deste mês. O diretor de uma escola pública de Bento Gonçalves, Leonildo de Moura, disse que o principal motivo que o mobilizou a participar da manifestação foi a busca da valorização dos professores estaduais e a reposição salarial.

A presidente do Cpers, Helenir Aguiar Schürer, reuniu uma comissão para protocolar junto ao governo 280 moções de apoio à causa. “São quase 300 Câmaras de Vereadores do Estado que se posicionaram a nosso favor”, relata. 

Representantes de outras entidades também estavam na manifestação, como União Estatual do Estudantes (UEE), Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), o Sindicato dos Trabalhadores do Judiciário Federal no RS (Sintrajufe/RS) e a Central Única dos Trabalhadores do RS (CUT/RS).

Na parte da manhã, a categoria esteve em um seminário realizado pela comissão especial da Câmara dos Deputados, no auditório Dante Barone, na Assembleia Legislativa, para discutir a PEC 32/2020. Para os servidores, a proposta tem como objetivo destruir a possibilidade de carreira no ensino público e abrir a possibilidade para cargos de confiança em detrimento do concurso público.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895