Recanto do Chafariz Imperial é entregue restaurado à Porto Alegre
capa

Recanto do Chafariz Imperial é entregue restaurado à Porto Alegre

Resta apenas a finalização do monumento localizado no Parque na Redenção

Por
Eduardo Amara

publicidade

Nove meses após o início das obras, a Prefeitura de Porto Alegre recebeu oficialmente o Recanto do Chafariz Imperial, na Redenção, restando apenas a finalização, que deve ocorrer neste mês. A entrega foi feita oficialmente nesta terça-feira durante um seminário realizado na sede do Sindicato das Indústrias da Construção Civil do Rio Grande do Sul (Sinduscon/RS), na Capital, no qual foi discutido temas ligados à preservação do patrimônio histórico. Iniciadas na primeira semana de março, as obras contemplaram a drenagem do local, além de recuperação dos bancos, pedras portuguesas e do próprio chafariz uma estrutura feita em ferro fundido. 

A última intervenção no Chafariz Imperial foi realizada em 1998, o que segundo a arquiteta e responsável técnica pela obra atual, Verônica Di Benedetti, acabou gerando uma série de problemas. “O que foi feito agora é um trabalho de conservação, infelizmente não temos esse costume, pois o certo seria conservar para não ter que restaurar”.

A arquiteta diz que com as reformas foi possível resolver o problema de alagamento do entorno, um espaço de aproximadamente 70 mil m² que recebeu o nome de Recanto Europeu. “A partir do momento que ele não inunda mais você pode ter plantas nos canteiros não precisa mais ser aquático porque elas vão resistir”, ressalta Verônica que lembra ainda a importância das melhorias para garantir o acesso da população. “Se torna acessível ao público, não é a chuva que vai impedir e com isso o recanto é trazido de volta às pessoas”.

O Chafariz Imperial é um dos 32 monumentos do Parque Farroupilha, popularmente conhecido como Redenção, recuperados a partir do Projeto Construção Cultural - Resgate do Patrimônio Cultural, encabeçado pelo Sinduscon/RS. Vice presidente da entidade, Zalmir Chwartzmann, diz que a ideia nasceu a partir da ideia do Sindicato em estar mais envolvido com a cidade. “Seis anos atrás decidimos ajudar a cidade porque a gente vive nela, nossos clientes moram aqui, achamos que era necessário atuar nela”.

O local foi uma sugestão do próprio governo municipal na época, por ser um espaço com muitos monumentos históricos. Para realizar as reformas os responsáveis recorreram à Lei de Incentivo à Cultura (LIC) que permite a captação de recursos junto a empresas mediante renúncia fiscal. Para a revitalização do Chafariz foram gastos R$ 380 mil, valor que de acordo com Chwartzmann é bem abaixo do que seria cobrado em outra situação.

“É um valor que precisa ser relativizado porque foi usado meu tempo e de outros colegas. A visão que temos que ter de orçamento é quanto que a empresa cobraria caso fosse contratada, porque tem esses custos que não foram contabilizados e para prefeitura é muito mais caro”, explica ele projetando que em caso de licitação o custo ficaria na casa de R$ 1 milhão.

Com as obras prestes a serem entregues por completo, a preocupação de Chwartzmann é quanto a conservação do local. O dirigente do Sinduscon/RS defende que o cercamento do Parque Farroupilha é a única forma de garantir a integridade dos monumentos. “A parte mais fácil foi fazer o trabalho, mas dias depois eles foram depredados. Não tem solução que não seja cercando o Parque.”