Redenção receberá investimentos de R$ 3,8 milhões para revitalização
capa

Redenção receberá investimentos de R$ 3,8 milhões para revitalização

Trabalhos foram iniciados nesta quarta e devem ser concluídos dentro de aproximadamente 40 dias

Por
Claudio Isaías

Diversas áreas do Parque da Redenção serão contempladas com melhorias

publicidade

Com um investimento de mais de R$ 3,8 milhões, o Parque da Redenção, uma das mais tradicionais áreas de lazer de Porto Alegre, está em obras desde esta quarta. Os trabalhos na área de 37,5 hectares deverão estar concluídos no começo do mês de dezembro. O anúncio foi feito durante a visita feita pelo prefeito Nelson Marchezan Junior, pelos secretários municipais do Meio Ambiente e da Sustentabilidade (Smams), Germano Bremm, e dos Serviços Urbanos (SmSurb), Ramiro Rosário, além do procurador-geral do Município, Nelson Marisco, aos locais que serão qualificados no parque. 

A vistoria marcou o início dos trabalhos de revitalização, cujos valores são provenientes de um Termo de Conversão em Área Pública (TCAP) no valor de R$ 3.398.527,43, e do Projeto de Revitalização de Praças e Parques da SMSurb avaliado em R$ 465 mil. “O Parque da Redenção vem sofrendo com a degradação do tempo e tínhamos um olhar de reestruturar o espaço”, destacou Bremm. 

De acordo com o prefeito, todas as áreas do parque receberão melhorias. “Nossa previsão é que a entrega seja realizada até o começo de dezembro, quando planejamos um grande evento festivo de Natal”, explicou. Para ampliar a segurança, Marchezan explicou que a prefeitura está concentrando algumas ações, como manter a poda elevada para dar uma visão de maior extensão do parque. “A PPP da iluminação pública será outro fator importante para melhorarmos a segurança no local”, completou.

Revitalizações: de recantos ao antigo Café do Lago

O parque será requalificado com colocação de saibro rosa em cerca de 60 mil metros quadrados de área, execução de nova academia de ginástica próximo ao viaduto Imperatriz Dona Leopoldina, na avenida João Pessoa, a reforma em três recantos infantis, restauro da Fonte Luminosa, qualificação dos Recantos Alpino, da Ilha e Europeu, reparos no embarcadouro, recuperação do prédio do antigo Postinho e do eixo central (próximo ao Monumento ao Expedicionário) e renovação das áreas de convivência. Segundo Bremm, a Fonte Luminosa receberá reforma nas fiações elétrica e hidráulica, além de elementos anti-furto das bombas e aspersores. Também serão instalados refletores de iluminação cênica.

No espaço do Recanto Alpino, será realizada repintura das estruturas em ferro, conserto do portão, recuperação do banco em granito, conserto dos pavimentos e projeto paisagístico. Já a qualificação do Recanto da Ilha abrange limpeza e reparos na pavimentação e plantio de grama. O espaço do embarcadouro (antigo café do Lago) receberá reparos e pintura, assim como o Recanto Europeu. A edificação do Postinho (antiga bilheteria) receberá serviços de pintura, vidraçaria, troca de revestimentos e pavimentação. 

“Trata-se de um momento muito importante para cidade. A ideia é realizarmos o máximo de serviços de qualificação para que passemos a contar, ainda neste ano, com uma área renovada, valorizando ainda mais o parque mais querido da cidade”, destacou o secretário Germano Bremm. 

Paralelamente ao TCAP, a prefeitura está viabilizando, por meio da SMSUrb, a pintura de 390 bancos, a recuperação de 200 metros quadrados de pedra portuguesa, a recuperação de 250 metros de basalto e a substituição de 106 lixeiras. Os serviços já foram iniciados. Além disso, a área do Parque Ramiro Souto (espaço esportivo dentro da Redenção) irá receber consertos que incluem troca e instalação de novas telas, pinturas e demarcações nas quadras de vôlei, de futebol de salão, de basquete, na quadra poliesportiva, campos de futebol 1 e 2, na academia e no recanto infantil.

Área do parque foi doada à cidade há 212 anos

Com uma área de 37,51 hectares, o Parque da Redenção foi inaugurado em 19 de setembro de 1935. Doado à cidade em 24 de outubro de 1807 pelo governador Paulo José da Silva Gama, o local foi inicialmente chamado de Potreiro da Várzea ou Campos da Várzea do Portão, passando mais tarde a denominar-se Campos do Bom Fim, devido à proximidade da Igreja do Nosso Senhor do Bom Fim (1867) e das festas que ali se realizavam. Em 9 de setembro de 1884, a Câmara de Vereadores propôs que o parque passasse a ser denominado de Campos de Redenção, em homenagem à libertação dos escravos do terceiro distrito da Capital.

O primeiro ajardinamento ocorreu em 1901, quando já existiam na área do parque, a Escola Militar (1872) e a Escola de Engenharia (1896). Com a Exposição Comemorativa do Centenário da Revolução Farroupilha, em 1935, o parque tornou-se Parque Farroupilha, pois o evento transitório efetivou a ocupação total do espaço. No dia 19 de setembro de 1935, Campos da Redenção recebeu a denominação de Parque Farroupilha, por meio de decreto municipal. Em 1997, foi efetuado o tombamento do parque como patrimônio histórico, cultural, natural e paisagístico de Porto Alegre.