Remoção da Estátua do Laçador para restauração deverá ser feita no fim de agosto em Porto Alegre

Remoção da Estátua do Laçador para restauração deverá ser feita no fim de agosto em Porto Alegre

Investimento na restauração é de aproximadamente R$ 900 mil

Cláudio Isaías

Remoção da Estátua do Laçador para restauração deverá ser feita no fim de agosto em Porto Alegre

publicidade

A remoção da Estátua do Laçador para a realização dos trabalhos de restauração deverá ocorrer no final do mês de agosto, segundo informou nesta quinta-feira o coordenador do projeto de Construção Cultural e diretor do Sindicato das Indústrias da Construção Civil do Rio Grande do Sul (Sinduscon/RS), Zalmir Chwartzmann. Conforme ele, diversos itens que terão que ser providenciados antes da retirada do monumento localizado na avenida dos Estados, na zona Norte de Porto Alegre.

Veja Também

A Estátua do Laçador será levada para um pavilhão situado na avenida Severo Dullius, no bairro Anchieta, onde será restaurada. A revitalização da estrutura tem uma previsão de duração de quatro meses. O investimento na restauração é de aproximadamente R$ 900 mil - R$ 810 mil do sindicato recurso captado via Lei de Incentivo à Cultura e R$ 90 mil contrapartida da prefeitura de Porto Alegre. De acordo com Chwartzmann, depois de recuperada a Estátua do Laçador será devolvida ao lugar onde está hoje na avenida dos Estados, na zona Norte da Capital. 

Diagnóstico 

A primeira fase de recuperação da obra compreendeu um diagnóstico quanto às condições estruturais da escultura, especialmente quanto a fissuras verificadas na base do monumento. Dois especialistas em restauro de obras com metal foram contratados: a brasileira Virginia Costa, engenheira metalúrgica e consultora em conservação do patrimônio, responsável pela coordenação de todo o trabalho prospectivo e o francês Antoine Amarger, restaurador de esculturas metálicas.

A Estátua do Laçador é um monumento que representa o gaúcho pilchado (em trajes típicos). A obra é de autoria do escultor gaúcho Antônio Caringi (1905-1981), de Pelotas, que venceu diversos concursos e produziu diversos monumentos, em geral, ligados à história e à cultura gaúcha. A obra “O Laçador” foi criada em gesso, em 1954, como resultado de um concurso vencido por Caringi para executar uma escultura que identificasse o homem riograndense na Exposição do IV Centenário de Fundação de São Paulo. 

Como modelo de indumentária, o artista utilizou o folclorista Paixão Côrtes (1927-2018), um dos fundadores do Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG). Em 1958, a escultura foi adquirida pela prefeitura de Porto Alegre e foi, então, a partir da matriz em gesso, fundida em bronze e transportada para ser instalada sobre um pedestal na avenida dos Estados.

Em 2007, em função de obras na região, a estátua foi transferida para o Sítio do Laçador, em frente ao antigo terminal do aeroporto Salgado Filho, onde permanece nos dias atuais. O Sinduscon será o responsável pela restauração da estátua em parceria com a Associação Sul Riograndense da Construção Civil e a prefeitura de Porto Alegre. 

Alteração no trânsito 

O trânsito na região do sítio do Laçador, na avenida dos Estados, sofreu alteração a partir desta quinta-feira, segundo a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC). Com a mudança, o trecho da avenida entre o Sítio do Laçador e o acesso ao Boulevard Laçador passa a ter sentido duplo de circulação.

O projeto tem como objetivo melhorar a acessibilidade local na região do Aeroporto Internacional Salgado Filho, utilizada não apenas em razão do turismo, mas também ao lazer dos porto-alegrenses. De acordo com o gerente de Planejamento de Trânsito e Circulação da EPTC, Marcelo Hansen, a implementação do projeto vai facilitar os deslocamentos dos motoristas que vêm do aeroporto. “A medida evita que veículos que se deslocam para a avenida tenham que trafegar em vias com grande fluxo, o que reduz congestionamentos, tempos de deslocamento, consumo de combustíveis e poluição do ar”, destacou.

Os agentes da EPTC vão monitorar a circulação no local e orientar os motoristas para minimizar os impactos no trânsito. 

 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895