Reunião entre governo do RS e prefeitura pode definir novas liberações em eventos de Porto Alegre

Reunião entre governo do RS e prefeitura pode definir novas liberações em eventos de Porto Alegre

Encontro ocorrerá nesta quarta-feira depois que a gestão municipal sugeriu calendário com autorizações

Felipe Samuel

Reunião entre governo do RS e prefeitura pode definir novas liberações em eventos de Porto Alegre

publicidade

Com a redução das internações por conta do novo coronavírus e o avanço da vacinação em Porto Alegre, o Gabinete de Crise do governo do Rio Grande do Sul pode definir novas liberações para o setor de eventos. Uma reunião marcada para esta quarta-feira vai tratar da sugestão apresentada na semana passada pela prefeitura de Porto Alegre, que elaborou um calendário sugerindo a autorização de eventos com ocupação máxima de 50% do alvará ou do Plano de Prevenção e Proteção Contra Incêndio (PPCI) e limite de público de mil pessoas.

Veja Também

Segundo o coordenador da Vigilância em Saúde, Fernando Ritter, a expectativa é de que o Palácio Piratini aprove o calendário planejado pela prefeitura, que condiciona a abertura da economia com vacinação e testagem da população. "Conversando com os empresários, fica claro que tudo que for certo vai ser melhor para todos. No momento que começa a fazer errado dá problema, como está acontecendo agora. Não adianta tapar o sol com a peneira, os eventos estão acontecendo. Se a gente não botar fatores de segurança, vai acontecer igual", afirma. 

Ritter reforça que Porto Alegre foi o primeiro município do Estado a apresentar uma proposta. "Estamos sendo tomados pela clandestinidade. Aconteceu o problema lá na Ilha das Flores, onde botaram mais gente do que a capacidade. Se começar a botar regra, não precisam ir na clandestinidade, e as pessoas começam a respeitar. Para nós também vai facilitar, pois hoje a gente não consegue estar em todos os lugares", assinala.

O coordenador destaca que entre os requisitos para realização dos eventos estariam testagem no momento da entrada, agendamento de testagem por grupos e horários diferenciados, coleta de dados para rastreabilidade e autorização do Escritório de Eventos da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo (SMDET). "Assim que for aprovado a gente bota em vigência", reforça, acrescentando que nesse primeiro momento a medida deve vigorar até 1º agosto.

A prefeitura apresentou um calendário escalonado. Se aprovada a primeira parte, a ideia é avançar no mês seguinte. "Do dia 2 de agosto a 15 agosto, a gente amplia para 5 mil pessoas com ocupação máxima de 50%. E de 16 a 29 de agosto, ou seja até o fim do mês, a gente amplia para ocupação de 75% com limite de 10 mil", observa. No mês de setembro, a ocupação seria de 75% do alvará de PPCI e limite de 20 mil pessoas. Em outubro, seria permitida a ocupação máxima autorizada. "Mas sempre lembrando que tem que ter a testagem no momento da entrada do evento, com testagem programada".


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895