Reviravolta no caso do cão resgatado no córrego no bairro Sarandi, em Porto Alegre

Reviravolta no caso do cão resgatado no córrego no bairro Sarandi, em Porto Alegre

A verdadeira dona do animal apareceu com a notícia e contou que ele fugiu de casa

Correio do Povo

Luana Pacheco não desistiu de querer adotar um companheiro para o Pedro, da raça Yorkshire

publicidade

O caso do resgate do cãozinho de cor preta dentro de um córrego e que foi adotado em seguida na manhã de terça-feira no bairro Sarandi, em Porto Alegre, teve uma reviravolta. Na manhã desta quarta-feira, a reportagem do Correio do Povo esteve na residência da empresária Luana Coelho, 38 anos, para ver como está o cão até então considerado vira-lata e soube que a verdadeira dona havia aparecido no final da terça-feira e levado ele embora. “Pelo menos ele encontrou a família”, resignou-se. 

A dona reside no Parque dos Maias e estava atrás dos dois cães que fugiram de casa pelo portão. Ela descobriu então que um deles, o Tomás, havia sido encontrado e foi buscá-lo, levando fotos para a comprovação. O outro cãozinho perdido, de cor marrom, também foi localizado, perto da Avenida Assis Brasil. Moradores próximo do córrego no bairro Sarandi haviam avistado os dois juntos antes da queda na água.

Luana Coelho revelou que já havia batizado o animal com o nome de Willdart e tinha comprado os potes de ração e água, além de dar um banho e alimentá-lo. Uma visita ao veterinário seria inclusive agendada. O cão achado no córrego faria companhia para o Pedro, da ração Yorkshire, que possui há cinco anos. 

A empresária contou que estava procurando um para adoção após a morte do companheiro de Pedro. Atraída pela movimentação do efetivo do 1º Batalhão de Bombeiros Militar no resgate dentro do córrego que passa pela avenida Sarandi, ela decidiu então adotá-lo após ser retirado da água. Luana Coelho constatou que era “muito dócil e querido” durante as cerca de cinco horas em que o animal permaneceu com ela. “Me apaixonei por ele”, resumiu. A empresária assegurou que mantém o desejo de adoção de um cão. “Agora é buscar outro”, disse.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895