Rio só irá liberar praias quando tiver vacina para Covid-19, diz Crivella

Rio só irá liberar praias quando tiver vacina para Covid-19, diz Crivella

Prefeito afirmou durante coletiva que locais onde não se usam máscaras tendem a não ser liberados pelo comitê científico do município

R7

Segundo Crivella, é imensurável o perigo de um dia de calor com a orla carioca lotada durante a pandemia

publicidade

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, anunciou nesta quinta-feira que praias só devem ser liberadas para banho após a produção de uma vacina contra o novo coronavírus. Segundo o chefe do poder executivo municipal, é improvável que lugares que sejam difíceis controlar o uso de máscaras sejam liberados para a população.

“Os locais onde a gente não pode usar a máscara, que é o caso da praia, a tendência é a gente retornar só quando tivermos vacina. A vacina está sendo testada, pode ser produzida aqui na nossa cidade, na Fiocruz”, explicou Crivella à imprensa. 

De acordo com o prefeito, durante a pandemia, é imensurável o perigo de um dia de calor com a orla carioca lotada. Crivella afirma que o Rio de Janeiro não pode desfazer todo o progresso conquistado até aqui com a queda da ocupação de leitos do novo coronavírus, apesar da reabertura gradual da cidade.

O prefeito também anunciou que o comitê científico do município descartou a possibilidade dos jogos finais do Campeonato Carioca com público. Segundo Crivella, é difícil conter aglomerações no estádio, no entorno da praça esportiva e também no deslocamento até o local.

Nova fase de reabertura

A Prefeitura do Rio de Janeiro também anunciou que os shoppings poderão funcionar a partir desta sexta-feira das 12h às 22h, duas horas a mais do que o estabelecido anteriormente. Lotéricas também terão os horários estendidos e permanecerão abertas das 8h às 18h.

Outras medidas da fase 3B da reabertura gradual do Rio é a liberação de clubes, associações, hipódromos, quadras de aluguel e congêneres abertos, ainda vedado quaisquer esporte de contato.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895