RS confirma 4ª dose da vacina contra Covid-19 para imunossuprimidos

RS confirma 4ª dose da vacina contra Covid-19 para imunossuprimidos

Quarta dose será feita quatro meses após aplicação da terceira dose da vacina

Correio do Povo

Aplicação será feita quatro meses após aplicação da terceira dose da vacina

publicidade

A Secretaria Estadual de Saúde (SES) confirmou, nesta quarta-feira, a aplicação da quarta dose da vacina contra o coronavírus em pessoas imunossuprimidas. A medida começa a valer a partir desta quinta-feira no Rio Grande do Sul. Assim, indivíduos com mais de 18 anos e que receberam a terceira dose da vacina em até quatro meses podem procurar os locais de imunização nos municípios gaúchos. A medida foi tomada durante reunião da Comissão Intergestores Bipartite (CIB), que ocorreu esta semana.

Os primeiros imunossuprimidos aptos em Porto Alegre poderão tomar a dose de reforço a partir de 16 de janeiro, segundo a Secretaria Municipal de Saúde. O imunizante aplicado será a Pfizer.

A orientação sobre a quarta dose foi comunicada pelo Ministério da Saúde na semana passada. A indicação foi publicada na mesma nota técnica em a Secretária Extraordinária de Enfrentamento à Covid-19 confirmou a redução dos prazos mínimos para aplicação da dose de reforço, que passou a ser de quatro meses a partir da aplicação da segunda dose. O intervalo até então era de cinco meses. 

Pacientes imunocomprometidos são os que possuem seus mecanismos normais de defesa contra infecções comprometidos. A Resolução contempla pessoas com as seguintes imunossupressões: imunodeficiência primária grave; neoplasias ou outras condições que prejudiquem a resposta imunológica no momento atual (em tratamento); transplantados de órgão sólido ou de células tronco hematopoiéticas (TCTH) uso de drogas imunossupressoras; pessoas vivendo com HIV/Aids; uso de corticoides em doses igual ou acima de 20mg/dia de predsona, ou equivalente a cerca de 14 dias; uso de drogas modificadoras de resposta imune; autoinflamatórias, doenças intestinais inflamatórias.


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895