RS convoca policiais e bombeiros para suprir saída de temporários
capa

RS convoca policiais e bombeiros para suprir saída de temporários

Mais de 170 servidores foram chamados e maioria irá para Brigada Militar

Por
Gabriel Jacobsen / Rádio Guaíba

RS convoca policiais e bombeiros para suprir saída de temporários


publicidade

O governo do Rio Grande do Sul convocou nesta segunda-feira, por meio de publicação no Diário Oficial, 178 servidores para atuar no policiamento ostensivo e no Corpo de Bombeiros, com o objetivo de suprir os servidores temporários que deixaram postos no mês passado. Dos novos convocados, 139 atuarão como policiais militares (PMs), sendo os outros 39 bombeiros. O Diário Oficial ainda convoca 43 suplentes. Todos agora realizarão exames médicos e toxicológicos.

Apesar da convocação, os novos servidores só devem ingressar no trabalho entre o final de 2016 e o início de 2017. Isso porque, após o período de exames médicos e toxicológicos, que vence em maio, os convocados e aprovados seguem para o curso de formação que dura cerca de seis meses.

Ainda na última semana, o presidente da Associação dos Cabos e Soldados da Brigada Militar (Abamf), Leonel Lucas, afirmou que a convocação é insuficiente. Lucas destacou que a quantidade de PMs que se desligou, somente em 2016, é maior que o número de policiais que vai ser chamado. “Desde o começo do ano, até agora, são 332 brigadianos que ingressaram na reserva. Esse grupo, portanto, não vai sequer suprir o déficit do momento e não implica em aumento da segurança”, ponderou.

Outro receio de Lucas é com relação à função dos futuros policiais, já que irão atuar nas vagas de pessoas que trabalhavam em presídios e também na realização de serviços administrativos, como atender telefones e ficar na recepção. “A grande pergunta é sobre as atividades desses aprovados e o verdadeiro aproveitamento deles. Aqueles que serão chamados atenderão os mesmos serviços administrativos ou vão colaborar no policiamento ostensivo? Se ficar como estava, com os temporários, não há qualquer sinal de melhora para a segurança nas ruas”, questionou.

No Comando da Brigada Militar (BM), a informação é de que as atividades desempenhadas não sejam as mesmas, ainda que se trate de um processo de reposição. A leitura é de que, dessa vez, os nomeados serão servidores de carreira e receberão treinamento na academia para atuarem no policiamento ostensivo.