RS tem redução pequena de ocupação de UTIs no fim de semana

RS tem redução pequena de ocupação de UTIs no fim de semana

Hospitais tinham 3.269 leitos com pacientes de 3.387 disponíveis

Gabriel Guedes

Porto Alegre segue com lotação acima dos 100%

publicidade

O estado do Rio Grande do Sul segue reduzindo a quantidade de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) ocupados, mas o ritmo ainda é lento. Entre a sexta-feira e domingo, a taxa de ocupação pouco variou. No início do feriadão era de 97,8% e neste domingo ficou em 96,5% o que significa que 3.269 pacientes ocupavam leitos entre os 3.387 disponíveis no estado.

Em Porto Alegre, o ritmo de queda nesta taxa também foi lenta. Nos finais de semana, como algumas prefeituras não divulgam as notificações, os números da pandemia de Covid-19 ficaram bem abaixo das marcas recentes. Foram 63 óbitos em 24 horas, bem como 895 novos casos, totalizando 860.136 infectados e 20.449 mortes. Na sexta-feira, a Secretaria Estadual de Saúde (SES) tinha reportado 7.825 novos casos e 171 vidas perdidas.

A rede privada segue liderando a ocupação de leitos de UTI, com uma taxa de 111,4%. A rede pública, pelo SUS, já atingiu 90,7% de ocupação, com 2.217 pacientes para 2.441 leitos. Em todo estado, há 12.306 pessoas internadas, tanto em unidades de internação convencionais quanto em UTI. Se considerarmos as pessoas que estão em casa, com sintomas leves, o RS tinha, no total, 15.539 casos de Covid-19 sob acompanhamento.

Em Porto Alegre, a taxa de ocupação passou dos 106,57%, na sexta-feira, para 103,54% neste domingo. Eram 1.052 pacientes internados - 754 deles por Covid-19 - e 1.020 leitos operacionais. Também havia uma fila de espera de 89 pacientes, que estavam internados nas Emergências das instituições. Os quadros mais críticos estão no Hospital Fêmina (166,67%), Ernesto Dornelles (147,50%), Conceição (147,46%), Moinhos de Vento (146,97%), São Lucas da PUCRS (122,03%) e Cristo Redentor (112,82%). Outros dois hospitais ainda estavam com as UTIs 100% lotadas, dois a menos que no início do feriadão.

 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895