Saúde libera aplicação da 2ª dose de reforço da vacina contra a Covid-19 em idosos acima de 60 anos

Saúde libera aplicação da 2ª dose de reforço da vacina contra a Covid-19 em idosos acima de 60 anos

Imunizantes da Pfizer, Janssen e AstraZeneca devem ser usados, segundo orientação do ministério

Correio do Povo

publicidade

O Ministério da Saúde recomendou uma segunda dose de reforço da vacina Covid-19 para a população com 60 anos ou mais. A nova orientação está em uma Nota Técnica publicada pela Pasta. A partir de agora, estados e municípios já podem começar essa etapa da campanha nacional de vacinação para esse público.

De acordo com a orientação, a segunda dose de reforço deve ser aplicada com o imunizante da Pfizer ou com as vacinas da Janssen e AstraZeneca, independentemente da dose utilizada anteriormente. O intervalo deve ser de quatro meses após a primeira dose de reforço. Com a nova recomendação, 24,2 milhões de brasileiros acima de 60 anos estão aptos para se imunizar com a segunda dose de reforço.

Até então, a segunda dose de reforço era recomendada apenas para idosos acima de 70 anos, imunocomprometidos, além das pessoas com mais de 60 anos que vivem em instituições permanente. Estudos mostraram que essa estratégia aumenta em mais de cinco vezes a imunidade uma semana após a aplicação. Para que a logística de vacinação aconteça, estados e municípios devem seguir a nova orientação de acordo com a disponibilidade de doses. Para isso, devem ser priorizadas as faixas etárias mais avançadas, com 90 anos ou mais, seguida de 80 a 89 anos e assim sucessivamente, até que todos os idosos sejam contemplados com o segundo reforço.

Distribuição 

Para proceder com a aplicação da segunda dose de reforço contra a Covid-19, o Ministério da Saúde irá distribuir nos próximos dias mais 2,5 milhões de doses. Do total de doses distribuídas, 2,3 milhões são para a dose de reforço dos maiores de 18 anos ou para a aplicação da segunda dose. Já 194,1 mil são para a imunização do público infantil. Desde o começo da campanha, aproximadamente 430 milhões de doses foram aplicadas na população brasileira. 

Com o avanço na vacinação, o país se aproxima para chegar ao marco de 80% da população total com as duas doses ou com a dose única da vacina no braço.“O Brasil adotou uma estratégia diversificada de aquisição de vacinas. Entendemos que para a plena recuperação da atividade econômica e social é importante o avanço do nosso plano nacional de vacinação”, disse o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. Foram distribuídas, até o momento, 208,4 milhões de doses de Pfizer, 131,6 milhões de doses de AstraZeneca, 117,7 milhões de Coronavac e 29,8 milhões de Janssen.


Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895