Setor de eventos aguarda definição do governo para retomada no Rio Grande do Sul

Setor de eventos aguarda definição do governo para retomada no Rio Grande do Sul

Expectativa é que a partir da próxima semana os protocolos já estejam definidos

Jessica Hübler

Setor de eventos suspendeu as atividades há seis meses no Rio Grande do Sul

publicidade

Após quase seis meses de suspensão das atividades, o setor de eventos do Rio Grande do Sul segue aguardando pelo posicionamento do governo do Estado para iniciar um processo de retomada. A interlocução entre representantes do segmento e o Executivo tem acontecido através da coordenação do Grupo Live Marketing RS, que reúne mais de 300 empresas da área. 

De acordo com um dos coordenadores do Grupo, Rodrigo Machado, da Opinião Produtora, a expectativa é que a partir da próxima semana os protocolos para o setor já estejam definidos. “A maioria do nosso setor, pelo menos 85%, está envolvida com eventos pequenos e podem voltar a trabalhar, então a gente consegue garantir um retorno seguro”, comenta. 

Além disso, Machado enfatizou que em uma pesquisa realizada em conjunto com o Sebrae, o Grupo constatou que 90% das empresas precisariam de até R$ 200 mil para “se resolver” na pandemia. “São muitas empresas pequenas e a gente voltando nas condições que estamos propondo, começa a resolver o contexto, de alguma forma temos que começar”, declara.

Machado ainda enfatiza que o segmento gera pelo menos 500 mil empregos no Estado. As primeiras reuniões foram feitas com o secretário estadual de Planejamento, Governança e Gestão Estratégica, Cláudio Gastal, ainda em maio e, desde então, todos os empresários estão envolvidos com a elaboração e também com os ajustes dos protocolos específicos para o setor. “Explicamos que o leque de eventos é muito grande, não podemos comparar um show no Araújo Vianna, com lugar marcado a um show em um estádio de futebol com 50 mil pessoas”, exemplifica.

Necessidades

Por conta das características de cada atuação, Machado explica que foi necessário um trabalho intenso para diferenciar quais as necessidades de cada empresa. “Foram meses de um trabalho exaustivo e muita dor, empresas fechando, gente passando fome”, lamenta. Há duas semanas o Grupo apresentou o protocolo definitivo diretamente para o governador Eduardo Leite e agora o momento é de espera por uma definição por parte do Executivo.

“Não existe evento sem segurança, são duas ações que andam juntas, temos protocolos para tudo, trazer mais um de segurança biológica e sanitária, para nós, é uma tranquilidade”, reitera.

Em uma reunião, realizada no fim da tarde desta quinta-feira com o Comitê de Dados, a Secretaria Estadual de Saúde e a Secretaria de Planejamento, todos os envolvidos buscaram uma solução definitiva. “A intenção é que segunda-feira os protocolos já estejam disponíveis no portal do Distanciamento Controlado e, com isso, muitas coisas já podem começar a funcionar, obviamente nas bandeiras amarela e laranja”, detalha.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895