Shopping Praia de Belas fará ações educativas por respeito às vagas de deficientes

Shopping Praia de Belas fará ações educativas por respeito às vagas de deficientes

Ações no estacionamento do centro comercial ocorrem após usuários que precisam dessas vagas reclamarem

Por
Eduardo Amaral

Campanhas educativas sobre vagas para PCD serão implementadas no estacionamento do shopping Praia de Belas


publicidade

Após muitas reclamações de usuários o Shopping Praia de Belas deve iniciar campanhas de conscientização para que as vagas de estacionamento destinadas a pessoas com deficiência sejam respeitadas. A medida foi anunciada na manhã desta quarta-feira após um encontro que reuniu representantes de entidades ligadas à defesa de pessoas com deficiência e da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) com a direção do shopping.

Durante o encontro, os usuários que precisam utilizar as vagas apresentaram reclamações sobre a falta de respeito de motoristas que insistem em utilizar as vagas reservadas no estacionamento. Segundo o gerente geral do shopping, Marcelo Borba, o que será feito em um primeiro momento são campanhas educativas. “O Praia de Belas se colocou a plena disposição para trabalhar em campanhas de conscientização do uso correto dessas vagas especiais que hoje estão plenamente atendidas, mas que eventualmente ainda há alguns casos de uso indevido.” 

Presidente do Conselho Municipal das Pessoas com Deficiência de Porto Alegre (Comdepa), Nelson Kalil, se disse satisfeito com o resultado da reunião e a postura da empresa. “Fomos muito bem recebidos e o shopping se comprometeu muito em divulgar as necessidades e o respeito a essas vagas”, relatou. Na avaliação dele, as ações devem melhorar a situação dos clientes que realmente precisam das vagas especiais, destinadas a deficientes, idosos e gestantes. “A gente conseguiu avançar muito e cremos que a partir de agora esses espaços serão mais respeitados.”

O balanço positivo do encontro foi acompanhado pela presidente do Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Coepede), Jussara Müller de Assis. “Foi um encontro muito produtivo com a presença de vários segmentos para obtermos essa vitória”, avaliou ela. 


A EPTC também estará envolvida nas ações educativas e deve apresentar um cronograma de ações nos próximos dias, e também pretende focar em ações educativas. “Nesse cronograma vamos trabalhar muito forte na conscientização e educação, atuar na mudança do comportamento”, afirma o gerente de operações do órgão, Paulo Ramires. Mesmo assim, ele deixa claro que “vai chegar o momento da fiscalização” já que ela também pode atuar em instituições privadas.