Taxa de ocupação de leitos de UTIs atinge maior índice em duas semanas no RS

Taxa de ocupação de leitos de UTIs atinge maior índice em duas semanas no RS

Secretaria Estadual de Saúde (SES) registrou 1.829 pacientes em unidades de terapia intensiva

Felipe Samuel

Secretaria Estadual de Saúde (SES) registrou 1.829 pacientes em unidades de terapia intensiva

publicidade

O avanço do novo coronavírus no Rio Grande do Sul se revela no aumento da ocupação dos leitos de Unidades de Tratamento Intensivo (UTI). De acordo com o painel de monitoramento das internações hospitalares da Secretaria Estadual da Saúde (SES), até às 16h desta quarta-feira, 1.829 pacientes seguiam internados em leitos de UTI adulta no Estado, e representavam taxa de ocupação de 78,3% - a mais alta em duas semanas.

Em 8 de julho, a taxa de ocupação era de 74,2%. O boletim aponta que mais da metade, 996 pessoas (54,5%), estava internada por outras doenças, enquanto 633 (34,6%) testaram positivo para a Covid-19. O monitoramento revela que 200 pacientes (10,9%) também foram hospitalizados por suspeita do novo coronavírus ou outra Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG).

Além disso, o painel revela que 1.724 enfermos confirmados e suspeitos de Covid-19 estavam internados em leitos fora de UTI. Em Porto Alegre, até 16h de hoje, conforme a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), a taxa de ocupação de UTIs em hospitais da Capital atingiu 88,45%, com 674 pacientes internados, incluindo casos de Covid-19 e outras doenças. Pacientes suspeitos (39) e confirmados (284) para o novo coronavírus somavam 323 casos, o que representa aumento de 67,4% em relação há duas semanas, quando o número de internados por conta da doença totalizava 193.

O Hospital de Clínicas apresentava o maior número de casos. Dos 144 pacientes internados em leitos do Centro de Terapia Intensiva (CTI) por Covid-19 e outras doenças, a maioria era de suspeitos (7) ou confirmados (83) para o novo coronavírus, elevando a taxa de ocupação dos leitos do CTI para 96%. A Santa Casa contabilizava 103 pacientes em leitos de UTI, sendo 55 por suspeita e confirmados para Covid-19, e taxa de ocupação de 81,75%. O Hospital Nossa Senhora da Conceição somava 71 pacientes em leitos de UTI, dos quais 43 por conta da doença. A taxa de ocupação chegou a 94,67%.  

Assessora de Planejamento e Gestão do Clínicas, a epidemiologista Jeruza Lavanholi Neyeloff afirmou que a equipe está trabalhando nos últimos dias com "ocupação crítica" dos leitos do CTI. "Faz algumas semanas que não conseguimos dar conta de pedidos de transferência", observa. Ela afirma que o aumento por demanda de leitos de CTI nas últimas semanas e o tempo de permanência prolongado dos pacientes já começam a refletir no atendimento. "A situação é crítica, porque o pessoal não consegue ser atendido", destaca, acrescentando que durante a semana apenas um leito para casos de parada cardiovascular ficou reservado.

"Esse número elevado de internações reflete o amplo contágio no Estado. No Clínicas temos conseguido lidar bem com mudanças dos leitos clínicos, temos uma equipe dedicada, que consegue fazer transferências de pacientes para outros hospitais para tratamentos de menor complexidade", explicou. Ao destacar que muitos pacientes com a Covid-19 são jovens, ela reforça a importância da população manter isolamento social e evitar circular pela cidade. Ela reforça o alerta e explica que os pacientes internados no CTI por conta da doença muitas vezes demandam ventilação mecânica, diálise e muita medicação.

"Não é uma doença fácil de lidar. E os jovens não estão imunes a ela", advertiu. E acrescenta: "As pessoas que estão circulando podem transmitir para outras pessoas. E ninguém gostaria que seu familiar esperasse por um leito"


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895