Taxa de ocupação de UTIs de Porto Alegre ultrapassa 90%

Taxa de ocupação de UTIs de Porto Alegre ultrapassa 90%

Neste momento, segundo painel de monitoramento, pacientes com a Covid-19 representam 38% deste total

Correio do Povo

Atualmente, 90,85% do sistema de Saúde da Capital está ocupado

publicidade

Pela primeira vez desde o começo da pandemia da Covid-19, a taxa de ocupação nas Unidades de Terapia Intensiva (UTI) do sistema de Saúde de Porto Alegre ultrapassou os 90%. No final da tarde desta quinta-feira, o painel de monitoramento feito pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS) indica 90,85% da capacidade hospitalar preenchida. 

Segundo o dashboard de leitos, 251 infectados pelo coronavírus estão em tratamento e existem ainda outros 40 suspeitos da doença hospitalizados. Dos 746 leitos operacionais disponíveis no momento, 655 estão preenchidos. Desses, 291 têm pacientes com a Covid-19. Este número é também o maior já registrado desde o primeiro caso da doença na Capital. 

Desde o começo da semana, o número de pacientes em UTI vem crescendo. No sábado, o sistema hospitalar da Capital registrava 208 casos confirmados pela doença. De lá pra cá, 43 novos enfermos necessitaram tratamento intensivo.

Reunião com hospitais

Motivado pelo avanço consistente, nesta sexta-feira, o prefeito Nelson Marchezan realizará reuniões com as diretorias de hospitais de Porto Alegre e com representantes do empresariado da cidade, já que a demanda por UTIs vem aumentando constantemente nos últimos dias, apesar da adoção de medidas de restrição de circulação. “O cenário é muito preocupante e precisamos que toda a sociedade entenda a situação em que a cidade se encontra”, destacou.

O gerente de risco do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Ricardo Kuchenbecker, afirmou que o crescimento da demanda estava previsto. "As tendências de ocupação que estão sendo praticadas nas UTIs adulto na Capital, hoje, já vinham sendo apontadas desde a última semana de maio, o que a gente não tinha de tendência naquela época e que tem agora, mas não esperávamos já chegar na segunda fase dos 250 leitos", ressaltou.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895