Taxa de ocupação de UTIs supera 111% em Porto Alegre

Taxa de ocupação de UTIs supera 111% em Porto Alegre

Atualmente, 764 infectados com a Covid-19 e 43 suspeitos estão em tratamento na Capital

Felipe Samuel

No Estado, pelo nono dia seguido, a taxa de ocupação das Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) registrava ocupação acima da capacidade, com 105,5%

publicidade

A taxa de ocupação de UTIs em Porto Alegre era de 111.51%. Dos 1095 pacientes, 807 tinham relação com a Covid-19. Até o início da noite, 198 positivos para Covid, em estado grave, aguardavam leitos de UTI em emergências. Somente no Clínicas e no Conceição totalizavam 86. Outras 33 pessoas sem diagnóstico da doença também estavam à espera de leito de UTI. Dos 18 hospitais com UTI adulto, 12 estavam com capacidade esgotada. Moinhos operava com 60,61% acima da capacidade e o São Lucas, com 33,90%.

No Estado, pelo nono dia seguido, a taxa de ocupação das Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) registrava ocupação acima da capacidade, com 105,5% da sua estrutura ocupada. Até o início da noite, 3.241 pacientes estavam internados em estado grave, ou seja, 169 pacientes a mais do que os 3.072 leitos que a estrutura comporta. A maior sobrecarga está nos leitos privados com 123,9% de lotação. 

Entidades médicas destacam trabalho dos profissionais da saúde

Em comunicado aos médicos divulgado nesta quarta-feira, o Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio Grande do Sul (Cremers) lembra que passado um ano do primeiro caso de contaminação por Sars-CoV-2 no RS e de enfrentamento à pandemia de Covid-19, os médicos ainda têm muito trabalho, dedicação e superação pela frente. "Afinal, enfrentamos o pior momento da pandemia e do esgotamento do sistema de saúde". 

O Cremers destaca a atuação dos profissionais médicos que atuam na linha de frente de combate à Covid-19, que trabalham, muitas vezes, acima de sua capacidade operacional, correndo riscos extremos e enfrentando condições inadequadas de carga horária, equipamentos e instalações. "O Cremers reitera que está à disposição e ao lado dos médicos, no sentido de buscar as melhores condições possíveis de trabalho e de valorização profissional, neste momento e futuramente", conclui a nota.

O Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (Simers) também agradeceu o trabalho dos profissionais de saúde. Em nota, a entidade reforça que na quarta-feira(10), dia que completa um ano da identificação do primeiro caso de coronavírus no Rio Grande do Sul, o Simers 'exalta o trabalho incansável dos médicos que atuam no combate da Covid-19'. "A entidade médica destaca a importância da união de forças para superação do agravamento dessa pandemia. Proteja-se, respeite o próximo. Valorize quem trabalha para salvar vidas", encerra a nota.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895