Tenda ao ar livre em Porto Alegre inicia testagem de Covid-19 com grande movimento

Tenda ao ar livre em Porto Alegre inicia testagem de Covid-19 com grande movimento

População da Capital conta com outras 132 unidades de saúde para realização dos testes

André Malinoski

Tenda está localizada ao ar livre no pátio do Instituto de Ciências Básicas da Saúde (ICBS)

publicidade

A tenda localizada ao ar livre no pátio do Instituto de Ciências Básicas da Saúde (ICBS) – unidade de ensino da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) –, no bairro Farroupilha registrou grande movimento na manhã desta sexta-feira em Porto Alegre. O local é a nova opção para testagem rápida de antígeno contra a Covid-19. Pessoas com algum sintoma da doença já buscam atendimento no local, situado na rua Sarmento Leite, n° 500, para fazerem o teste de detecção do novo coronavírus.

A estudante Kellen Silva, de 25 anos, foi a primeira a ser testada na manhã desta sexta-feira, quando cerca de 40 pessoas aguardavam na fila em torno das 9h15min. “Estou aliviada, porque abriu mais uma oportunidade de testagem para as pessoas”, compartilhou o sentimento, citando que sintomas como dores no peito, na cabeça e pelo corpo iniciaram ainda na quarta-feira. O horário de funcionamento será das 9h às 17h. O público ainda conta com outras 132 unidades de saúde realizando os testes em Porto Alegre.

O enfermeiro da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) Leonardo Rodrigues, que orientava o início dos trabalhos na tenda, avaliou a importância do local para a testagem. “Decidimos abrir mais um centro para desafogar os postos de saúde, que, além de estarem superlotados, têm outras demandas de atendimento”, explicou. Conforme antecipou, mais seis tendas ainda serão abertas nos próximos dias em outros pontos da cidade. Na tenda do ICBS, a equipe era composta por seis profissionais – dois médicos, dois enfermeiros e dois técnicos de enfermagem. A estimativa era de que 200 testes fossem realizados ali nesta sexta.

Veja Também

O servidor público Luiz Davi, 40, foi atrás do teste depois de sentir alguns sintomas. “Tenho coriza, dores no corpo e na cabeça, são mais gripais”, comentou. A trabalhadora da área administrativa Viviane Machado, 43, queixava-se de incômodos semelhantes. “Fui no posto de saúde perto da minha casa, mas não tinha mais testes. Vi que abriu aqui e decidi procurar”, contou enquanto esperava na fila.

Por sua vez, Carlos Soares, 35, relatou que teve contato com duas pessoas positivadas. “Por isso decidi me submeter ao teste”, resumiu. Situação parecida foi vivenciada pela estudante Maria Luiza, 24. “Tive contato com positivado e sinto dor de cabeça e cansaço há uns dois dias”, afirmou ela, que também foi uma das primeiras a serem atendidas no local.

Saiba mais:

Sintomas como febre, calafrio, dor de garganta, tosse, dor de cabeça, coriza, diarreia, alteração no olfato, no paladar, fraqueza e dor muscular são alguns dos indicativos importantes para o público ligar o sinal de alerta e procurar pelos testes rápidos. Além disso, os pacientes assintomáticos que tiveram contato com algum caso positivado de Covid-19 e sem esquema vacinal completo também devem buscar os locais de testagem. Todos passarão por avaliação clínica e os pacientes que tiverem resultado negativo no teste de antígeno, mas que seguirem com sintomas, poderão realizar o teste RT-PCR no próprio local, mediante direcionamento das equipes de saúde.

Conforme orientações da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), as testagens devem ser feitas, preferencialmente, entre o terceiro e o quinto dia após o começo dos sintomas no corpo. Para os pacientes assintomáticos, o indicado é testar entre o terceiro e o quinto dia depois do último contato com o caso positivo da doença.


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895