Véspera de Natal tem movimento moderado no comércio do Centro Histórico de Porto Alegre

Véspera de Natal tem movimento moderado no comércio do Centro Histórico de Porto Alegre

Clientes se surpreendem com tranquilidade nesta sexta

Felipe Samuel

publicidade

Quem deixou para comprar presentes e ingredientes para a Ceia na véspera de Natal não enfrentou filas ou aglomerações no comércio do Centro Histórico. Pela manhã, as principais lojas da região registraram movimento moderado de público, um cenário incomum para essa época do ano. A impressão é que muita gente se antecipou e realizou as compras para a data com bastante antecedência. Sem o corre-corre de anos anteriores, muitos clientes entravam nos estabelecimentos e experimentavam roupas e calçados com tranquilidade. A expectativa era de maior movimento à tarde.

O movimento abaixo do esperado chamou a atenção de comerciantes e clientes. A atendente Priscila Costa, 23, deixou para comprar os presentes para a família na última hora. Mesmo assim, não teve maiores dificuldades para encontrar os itens para os filhos Pedro, 3, e Isabela, 4. Em uma loja de calçados localizada na avenida Otávio Rocha, ela carregava várias sacolas enquanto observava os modelos expostos na vitrine. "Comprei todos os presentes. Agora não falta nada", afirma.

Clientes se surpreendem com tranquilidade 

Moradora da Lomba do Pinheiro, na Zona Leste, Priscila acreditava que seria preciso paciência para encarar as compras na região. "Está tranquilo. Até achei que seria mais movimentado. Fiquei surpresa com tanta tranquilidade", destaca. A cena se repetia em todo comércio do entorno, como na Doutor Flores, Vigário José Inácio, Voluntários da Pátria e Rua dos Andradas. A expectativa dos comerciantes era de que o movimento melhorasse à tarde.

Até o início da tarde, o movimento também era tímido no Mercado Público, um dos pontos mais tradicionais de Porto Alegre para aquisição de produtos para a ceia. Os clientes que deixaram para buscar por bacalhau, carne suína, cerejas, frutas cristalizadas, entre outros itens, podiam escolher sem maiores dificuldades. Nas ruas do entorno do Mercado Público sobravam vagas para estacionar, reflexo do movimento abaixo do esperado.

A pedagoga e coordenadora de projetos Rita de Cássia Salaberry Denis, 56, deixou para comprar na última hora um item fundamental para enfeitar a ceia: cerejas. Acostumada com o local cheio, ela se surpreendeu com a rapidez no atendimento. "Esperava encontrar fila, porque normalmente aqui a gente pega a ficha e fica alguns minutos na fila. Hoje foi rapidíssimo, cheguei e fui atendida", afirma. Rita afirma que o Mercado Público é especial porque oferece bons preços e qualidade.

Manhã de movimento fraco em agências bancárias e supermercados 

Com funcionamento em horário reduzido, das 9h às 11h, as agências bancárias do Centro Histórico também registraram movimento fraco. Os clientes não enfrentaram filas para acessar os caixas eletrônicos. Até o começo da tarde, o movimento nos supermercados era tranquilo. Ao contrário de outros anos, quando houve filas e corre-corre em busca de produtos, os clientes podiam escolher os produtos sem maiores dificuldades.    


Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895