Vacinação contra gripe e sarampo é prorrogada até dia 24 em Porto Alegre

Vacinação contra gripe e sarampo é prorrogada até dia 24 em Porto Alegre

Medida foi definida pelo Ministério da Saúde, devido à baixa adesão registrada até o momento

Correio do Povo

publicidade

A prefeitura de Porto Alegre anunciou nesta sexta-feira que as pessoas dos grupos prioritários para a imunização contra a gripe e aquelas com indicação para vacinar contra o sarampo poderão ser imunizadas na campanha até 24 de junho. A prorrogação foi definida pelo Ministério da Saúde nessa quinta-feira, devido à baixa adesão registrada até o momento.

Gripe 

A vacina oferecida pelo Sistema Único de Saúde protege contra três cepas do vírus influenza: A H1N1 e A H3N2 e B. O imunobiológico garante proteção contra complicações da doença, que podem levar a hospitalizações e óbitos. Os grupos prioritários são pessoas com mais de 55 anos, crianças entre seis meses e nove anos, gestantes, puérperas, indígenas, trabalhadores da saúde, da educação, dos transportes e portuários, além de profissionais da segurança e forças armadas e pessoas com comorbidades.

Para as crianças, a recomendação é apresentar caderneta de vacinação; gestantes e puérperas, a caderneta da gestante; profissionais, comprovante de vínculo com emprego; pessoas com comorbidades, atestado, laudo ou relatório médico ou receita de medicamento de uso contínuo.

O diretor adjunto da Vigilância em Saúde (DVS), órgão da SMS, Benjamin Roitman, destaca que a vacina da gripe pode ser feita de forma concomitante com outras vacinas pela maioria das pessoas. Apenas as crianças em idade para receber a vacina Covid-19 devem respeitar o intervalo mínimo entre as doses das duas vacinas.

Sarampo 

Há indicativo de vacinação para crianças de seis meses a cinco anos incompletos e trabalhadores da saúde de serviços públicos e privados, nos diferentes níveis de complexidade. Para este grupo, são aplicadas duas doses da vacina tríplice viral, que também protege contra rubéola e caxumba, independente da faixa etária, de acordo com a situação vacinal do profissional. Para receber a imunização, trabalhadores da saúde devem apresentar contracheque ou outro documento que demonstre o vínculo empregatício.

O enfermeiro Augusto Crippa, do Núcleo de Imunizações da Secretaria Municipal de Saúde, destaca que a tríplice viral é uma vacina de rotina e está disponível em todas as unidades de saúde, mesmo fora do período de campanha. O esquema vacinal na rotina são duas doses de tríplice viral dos 12 meses a 29 anos ou uma dose dos 30 aos 59 anos. “A campanha também é oportunidade de atualizar a caderneta vacinal de toda a família”, enfatiza o técnico.


Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895