Vacinação de pessoas com 62 anos deve começar na sexta em Porto Alegre

Vacinação de pessoas com 62 anos deve começar na sexta em Porto Alegre

Secretaria Municipal de Saúde aguarda a confirmação de quantas doses serão enviadas pelo Instituto Butantan

Cláudio Isaías

Segundo a SMS, cerca de 13 mil pessoas com 62 anos devem ser imunizadas com a primeira dose

publicidade

Com a chegada de um novo lote de vacinas previsto para quinta-feira, a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) poderá abrir a faixa etária de 62 anos para a vacinação contra a Covid-19. A garantia é do secretário Mauro Sparta ao afirmar nesta quarta-feira que existe a possibilidade da entrega de nova remessa do imunizante para Porto Alegre. "Dando tudo certo, na sexta-feira, já vamos começar a vacinação das pessoas com 62 anos nos postos de saúde", ressaltou.

Neste grupo de 62 anos, segundo levantamento da secretaria, constam cerca de 13 mil pessoas que devem receber a primeira dose da vacina da Coronavac entregue pelo Instituto Butantan. "Existe a possibilidade também da faixa etária baixar ainda mais na Capital. Tudo vai depender da quantidade de doses enviadas para Porto Alegre pelo Butantan", acrescentou.

O secretário voltou a pedir para que as pessoas que fizeram a primeira dose procurem um dos 30 postos de saúde e os três drive-thrus para realizar a segunda dose da imunização contra o coronavírus. "As pessoas devem procurar as unidades de saúde para a aplicação da segunda dose da Coronavac", ressaltou.

Sparta acredita que a não ida as unidades de saúde esteja atrelada ao fato de que as pessoas se sentiram seguras em realizar a primeira dose ou ainda não tiveram a preocupação de olhar a carteira de vacinação para verificar a data correta. "O nosso apelo é para que as pessoas voltem aos postos de saúde para realizar a segunda dose da vacina", explicou.    

O chefe do Serviço de Infectologia do Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA), Eduardo Sprinz, disse que, independentemente de qual seja a vacina que a pessoa tome, enquanto ela não fizer a dose de reforço, a vacina não protege como poderia. "Por isso é fundamental que todos façam a segunda dose no tempo correto”, ressaltou ele.

Já a enfermeira Aline Vieira Medeiros, gerente distrital do Centro da SMS, afirmou que tanto no Centro de Saúde Modelo, no bairro Santana, quanto no Santa Marta, no Centro Histórico, as pessoas têm retornado para realizar a segunda dose do imunizante. Segundo ela, somente quando muda a faixa etária ocorre uma demanda maior pela primeira dose. "Tanto no Modelo quanto no Santa Marta, a segunda dose é que tem a maior procura", explicou.

Conforme Aline Vieira, é preciso descobrir qual o motivo dessa ausência das pessoas. "As vacinas podem ser feitas em qualquer uma das 30 unidades de saúde referência. Não é necessário, por exemplo, um deslocamento até o Centro, para fazer a vacina contra o coronavírus", explicou. Segundo a enfermeira, é importante conscientizar as pessoas que com uma dose só elas não estão imunizadas com apenas uma dose. "É preciso estar atento. A primeira dose não imuniza totalmente contra a doença", acrescentou.

Para a Coronavac, o intervalo entre uma dose e outra é de 21 a 28 dias. A primeira serve para provocar o sistema de defesa a agir contra o vírus. A segunda é fundamental porque o estimula o corpo a produzir um número ainda maior de anticorpos. A secretaria orienta que idosos imunizados entre os dias 15 a 20 de março com a primeira dose da Coronavac devem ficar atentos à data para aplicação da segunda dose contra Covid-19.  Somente com a imunização da segunda dose o esquema vacinal ficará completo.

O atendimento para a aplicação da segunda dose da vacina segue disponível em 30 unidades de saúde, abertas das 8h às 17h, e três drive-thrus localizados nos estacionamentos do Big Sertório, Big BarraShopping Sul e PUCRS, com atendimento das 9h às 17h.

Para aplicação da segunda dose, é necessário levar documento com CPF e a carteira de vacinação com registro da primeira aplicação. Isso agiliza o atendimento e garante o registro e a comprovação de que a imunização está completa.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895