A dois dias das eleições, Israel legaliza colônia na Cisjordânia
capa

A dois dias das eleições, Israel legaliza colônia na Cisjordânia

Criada em 1999, Mevoot Yericho, situada no Vale do Jordão, foi transformada em assentamento oficial

Por
AFP e Correio do Povo

Comunidade abrange centenas de acres e garante o controle da faixa e estratégica de terra perto de Jericó

publicidade

O governo israelense autorizou, neste domingo, a legalização de uma colônia na Cisjordânia ocupada, dois dias antes das eleições legislativas, cruciais para o futuro político do premiê Benjamin Netanyahu. Israel decidiu "transformar a colônia selvagem de Mevoot Yericho, situada no Vale do Jordão, em uma oficial", informou o gabinete de Netanyahu. Criada em 1999, a comunidade abrange centenas de acres e garante o controle da faixa e estratégica de terra perto de Jericó. "Éramos como sonhadores", disse o secretário do assentamento, citando um capítulo do Livro dos Salmos. "É um momento histórico".

O procurador-geral Avichai Mandelblit, que na semana passada disse que a mudança não era possível durante um período eleitoral, retirou hoje sua objeção, quando o gabinete se reuniu no posto ilegal. Ele havia dito em sua decisão inicial que aprovar a ação antes da votação poderia ser vista como propaganda política. A razão de sua mudança de opinião não está clara de imediato. Mevo'ot Yericho é o lar e mais de 30 famílias e tem uma sinagoga, um Mikveh e três creches para crianças de zero a três anos. 

Na semana passada, Netanyahu fez uma promessa extraordinária de anexar assentamentos judeus na Cisjordânia, caso vença a votação de terça-feira. Em julho, o país aprovo licenças para seis mil unidades habitacionais na Área C da Cisjordânia; se beneficiando a segurança e os interesses estratégicos do Estado, plano prevê construção de 715 casas para palestinos "residentes nativos".