Argentina analisa ações conjuntas com o Brasil contra tarifas de Trump
capa

Argentina analisa ações conjuntas com o Brasil contra tarifas de Trump

Taxas mais altas para alumínio e aço devem causar forte baque nas exportações

Por
AFP

publicidade

A Argentina analisa promover ações conjuntas com o Brasil em relação às tarifas sobre o aço e o alumínio adotadas pelos Estados Unidos contra as exportações dos dois países, informou nesta segunda-feira o ministério argentino da Produção. Funcionários da pasta "estão promovendo gestões com o governo brasileiro para definir uma posição e ações conjuntas", diz um comunicado.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou a adoção das tarifas com "vigência imediata". A Argentina já "iniciou gestões com os Estados Unidos para obter detalhes sobre a medida", destacou o ministério, dirigido por Dante Sica. "O governo está trabalhando com a embaixada da Argentina nos Estados Unidos para saber dos detalhes de como será a retomada das tarifas".

Neste sentido, tanto o ministro Sica como o chanceler Jorge Faurie, "solicitaram entrevistas com seus pares dos Estados Unidos" para obter maiores detalhes a respeito. "Foi um tema inesperado, não havia qualquer sinal em relação ao nosso governo ou ao Brasil", disse Sica em declarações a agência estatal. As tarifas prejudicam as exportações do Brasil, o segundo maior fornecedor de aço aos Estados Unidos, e também da Argentina, que vende aos americanos a maior parte de sua produção de alumínio e aço.

O presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, mostrou confiança em reverter a taxação, mas não projetou como ou quando será conversa com Trump.