capa

Autoridades internacionais vão avaliar mudanças no Boeing 737 MAX

Sistema da aeronave é relacionado a duas tragédias que juntas deixaram 346 mortos

Por
AFP

Inspeção em Boeing 737 irá durar 90 dias

publicidade

A Administração Federal de Aviação (FAA) anunciou que realizará uma revisão técnica conjunta das modificações no Boeing 737 MAX a partir de 29 de abril, da qual participarão representantes de nove autoridades de aviação internacional - inclusive a brasileira Agencia Nacional de Aviação Civil (Anac).

A revisão técnica fará uma verificação minuciosa da certificação do sistema automatizado de controle de voo da aeronave, disse a agência federal americana em um comunicado na sexta-feira.

O sistema, presente no modelo 737 MAX da fabricante de aviões americana Boeing, é relacionado a duas tragédias recentes, com um saldo de 346 mortes. Por isso, o avião está parado no mundo inteiro há mais de um mês.

Os especialistas se reunirão em 29 de abril para a revisão, que durará 90 dias. Eles avaliarão aspectos do sistema de controle de voo automatizado do 737 MAX, incluindo seu design e a interação dos pilotos, a fim de determinar a conformidade com todas as regulamentações aplicáveis, e identificar quaisquer melhorias que possam ser necessárias em voos futuros, diz a FAA.

As autoridades aéreas participantes são as de Austrália, Brasil, Canadá, China, União Europeia (Agência Europeia para a Segurança da Aviação, a Easa), Japão, Indonésia, Singapura e Emirados Árabes Unidos.

O grupo encarregado da revisão é presidido pelo ex-chefe da Agência de Segurança nos Transportes dos EUA, e inclui especialistas da FAA e da Nasa, bem como representantes das autoridades de aviação internacionais.