Biden: vazamento de documentos preocupa, mas não há risco imediato

Biden: vazamento de documentos preocupa, mas não há risco imediato

Informações detalham os planos do governo dos Estados Unidos sobre a guerra na Ucrânia

AFP

publicidade

O presidente de Estados Unidos, Joe Biden, disse nesta quinta-feira (13) estar "preocupado" com o vazamento de documentos altamente sensíveis de seu governo, mas pareceu descartar qualquer risco imediato. "Estou preocupado com o que aconteceu", afirmou Biden, em conversa com jornalistas na Irlanda, para onde viajou. O presidente acrescentou que a investigação em curso está se "aproximando" de algumas conclusões.

O Departamento de Justiça dos EUA iniciou uma investigação criminal depois do vazamento dos documentos em redes sociais. Esses papéis detalham os planos de Washington sobre a guerra na Ucrânia e incluem análises confidenciais sobre seus aliados. Na segunda-feira (10), o Pentágono considerou que o vazamento supõe um "risco muito grave" para a segurança nacional do país.

As autoridades americanas não confirmaram publicamente a autenticidade desses arquivos, que também não foram verificados por nenhuma fonte independente. Segundo o jornal The Washington Post, os documentos foram vazados por um jovem entusiasta de armas, que os compartilhou em um grupo privado da plataforma Discord. O jovem, que usava o pseudônimo "OG", publicou durante meses centenas de páginas copiadas de documentos da base militar na qual trabalhava, detalhou o jornal.

Os documentos publicados mencionam as preocupações dos serviços de Inteligência americanos em relação à viabilidade de uma contraofensiva ucraniana contra as forças russas, devido a problemas de formação e de abastecimento. Um documento verificado pela AFP expõe as preocupações dos Estados Unidos com a capacidade da Ucrânia para continuar se defendendo dos bombardeios russos.


Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895