Boris Johnson defende acordo com União Europeia em telefonema a Emmanuel Macron

Boris Johnson defende acordo com União Europeia em telefonema a Emmanuel Macron

Primeiro-ministro disse que Reino Unido estava preparado para encerrar período de transição

AE

Boris Johnson voltou a jogar duro em relação à saída do país da União Europeia

publicidade

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, voltou a jogar duro em relação à saída do país da União Europeia (UE), o chamado Brexit. Em conversa por telefone mais cedo com o presidente da França, Emmanuel Macron, ele ressaltou que um acordo era melhor para ambos os lados, mas também que o Reino Unido estava preparado para encerrar o período de transição, caso um acordo não pudesse ser fechado. 

A informação sobre o conteúdo do telefonema foi divulgada há pouco por Downing Street, o endereço oficial do governo britânico. O Brexit entrou em vigor em 31 de janeiro, mas conta com um período de transição até o fim do ano para que algumas arestas - inclusive, a que trata da relação comercial entre as duas partes - fossem acertadas. Há um consenso, enfatizado pelo próprio premiê do Reino Unido, de que um pacto comercial precisa ser fechado até 15 de outubro para que haja tempo hábil suficiente para que entre em operação no início de 2021.

De acordo com Downing Street, Johnson confirmou o compromisso do Reino Unido em explorar todas as vias para chegar a um acordo. "O primeiro-ministro sublinhou que é necessário avançar nos próximos dias para colmatar as lacunas significativas, especificamente nas áreas das pescas e da igualdade de condições, por meio do processo de conversações intensivas entre os negociadores chefes acordados com o presidente da Comissão Europeia", trouxe o comunicado. Os líderes, segundo o governo britânico, concordaram em manter contato sobre o assunto.

Os dois também discutiram sobre os últimos desenvolvimentos relacionados à pandemia do novo coronavírus e as medidas que cada país estava tomando para impedir a propagação do vírus.

Veja Também


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895