Califórnia e montadoras desafiam Trump com acordo ambiental
capa

Califórnia e montadoras desafiam Trump com acordo ambiental

Ford, Honda, Volkswagen, BMW e Califórnia pretendem produzir veículos menos poluentes até 2026

Por
AFP

Acordo estabelece redução média das emissões de gases de 3,7% a cada ano

publicidade

As fabricantes de automóveis Ford, Honda, Volkswagen e BMW e a Califórnia anunciaram nesta quinta-feira um acordo para produzir veículos menos poluentes até 2026, em um desafio ao governo de Donald Trump, que deseja flexibilizar as exigências ambientais.

"Poucas questões são mais urgentes do que a mudança climática, uma ameaça global que põe em risco nossas vidas e nossos meios de subsistência", disse o governador Gavin Newsom em um comunicado. "A Califórnia, uma coalizão de estados e esses fabricantes de automóveis estão liderando o caminho em políticas inteligentes que tornam o ar mais limpo e seguro para todos nós", acrescentou.

Newsom também pediu que "o resto da indústria automobilística se junte a nós, e que o governo Trump adote este compromisso pragmático em vez de buscar uma mudança regressiva. Essa é a coisa certa para nossa economia, nosso povo e nosso planeta".

Em sigilo, o estado da Califórnia e as fabricantes negociaram o acordo para evitar normas mais ou menos rigorosas em diferentes partes dos Estados Unidos. "Estamos todos de acordo que um marco que garanta uma solução nacional é o melhor cenário", declararam as fabricantes em um comunicado. O acordo, que estabelece uma redução média das emissões destes gases de 3,7% a cada ano, é uma versão mais leve do plano impulsionado pelo ex-presidente Barack Obama. Até 2026, os novos modelos deverão ter rendimento de 50 milhas por galão de combustível - o equivalente a 4,7 litros a cada 100 quilômetros -, em vez das 37 milhas atuais. 

Há décadas a Califórnia pode impor padrões antipoluição mais rigorosos do que a nível federal, embora Trump queira acabar com essa exceção. Depois de quase um ano de consultas, o novo regulamento de Trump deve ficar pronto neste verão (boreal). A Califórnia e outros estados provavelmente o levarão à Justiça imediatamente, deixando os fabricantes inseguros e temendo que dois padrões sejam aplicados no mercado americano. "Todos concordamos que uma estrutura que garanta uma solução nacional é o melhor cenário", disseram os fabricantes em um comunicado.

Ainda não se sabe se os outros construtores vão aderir à causa, especialmente a Fiat Chrysler, a General Motors e a Toyota, que, juntamente com a Ford, dominam o mercado.

Mary Nichols, reguladora ambiental da Califórnia, afirmou que o "acordo representa um caminho factível e aceitável para alcançar as metas da Califórnia e da indústria automotiva". "Se a Casa Branca não estiver de acordo, seguiremos em frente com nossos padrões atuais e trabalharemos com fabricantes individuais de automóveis para implementar esses princípios".