China exige que EUA elimine sobretaxas para assinar acordo
capa

China exige que EUA elimine sobretaxas para assinar acordo

Montante tarifário representa US$ 250 bilhões de importações por ano

Por
AFP

Trump prometeu encontro com Xi Jinping e suspensão de tarifas adicionais

publicidade

A China advertiu nesta quinta-feira o governo dos Estados Unidos que não assinará nenhum acordo comercial, exceto se incluir a suspensão completa dos aumentos tarifários determinados pela administração de Donald Trump aos produtos chineses.

Delegações das duas maiores potências econômicas do mundo "mantêm uma comunicação permanente", afirmou Gao Feng, porta-voz do ministério do Comércio da China. Os presidentes chinês, Xi Jinping, e americano, Donald Trump, decretaram no sábado uma trégua na disputa comercial, durante um encontro à margem da reunião do G20 em Osaka, Japão.

Leia mais sobre batalha comercial entre China e EUA

Os dois concordaram em retomar as negociações. "A imposição unilateral por parte dos Estados Unidos de tarifas adicionais sobre as exportações chinesas é o ponto de partida das divergências comerciais", disse Gao Feng. "Se as partes chegarem a um acordo, as sobretaxas alfandegárias devem ser completamente abolidas", completou.

China e Estados Unidos protagonizam desde o ano passado uma guerra comercial cuja solução é imprevisível, com a imposição de tarifas de importação recíprocas. Trump já determinou tarifas de 25% sobre produtos chineses que representam 250 bilhões de dólares de importações ao ano. O presidente americano prometeu no encontro com Xi Jinping que não vai ordenar tarifas de importação adicionais.