Ciclone Tauktae deixa ao menos 27 mortos na Índia

Ciclone Tauktae deixa ao menos 27 mortos na Índia

Mais 96 desapareceram quando viajavam em uma embarcação que naufragou na costa de Mumbai

AFP

Evento climático forçou mais 200 mil pessoas a procurar abrigos

publicidade

Ao menos 27 pessoas morreram na região oeste da Índia após a passagem do ciclone Tauktae, que obrigou a suspensão da campanha de vacinação contra a Covid-19 neste país muito afetado pela pandemia. Mais 96 estão desaparecidos quando viajavam em uma embarcação que naufragou com 273 pessoas a bordo na costa de Mumbai, capital do estado de Maharastra, anunciou a Marinha indiana. Os militares informaram que 177 passageiros foram resgatados em condições extremamente difíceis.

Tauktae forçou mais 200 mil pessoas a procurar abrigos. Ele tocou o solo na segunda-feira em Gujarat como tempestade ciclônica extremamente violenta, com rajadas de vento que atingiram 185 km/h, informou o Departamento Meteorológico da Índia.

A tempestade tropical mais intensa a afetar a região oeste da Índia em décadas provocou vítimas nos estados de Kerala, Goa, Maharashtra e Gujarat. Os fortes ventos derrubaram casas improvisadas, assim como árvores e torres de energia elétrica. O ciclone devastou o oeste do país e as ruas se transformaram em rios, o que provocou a fuga de centenas de milhares de pessoas.

O nível do mar subiu três metros ao longo da costa, de acordo com fontes dos serviço meteorológico da localidade costeira de Diu, estado de Gujarat, com ventos de 133 km/h. Seis pessoas morreram e nove ficaram feridas quando o ciclone atingiu o estado de Maharashtra.

As autoridades estaduais fecharam o aeroporto de Mumbai durante várias horas na segunda-feira e pediram à população que permanecesse em locais protegidos. Maharashtra retirou quase 12.500 pessoas das áreas costeiras. Em Gujarat, mais de 16.500 casas foram danificadas, 40.000 árvores arrancadas e 2.400 vilarejos ficaram sem energia elétrica. As autoridades de Gujarat tentam evitar os cortes de energia nos 400 hospitais e fábricas de oxigênio da costa.

Pacientes de Covid-19 transferidos

O Tauktae atinge a Índia no momento em que o país enfrenta uma terrível segunda onda de coronavírus, com mais de 4.000 mortes por dia. Os hospitais estão lotados, os profissionais da saúde à beira da exaustão e os centros médicos sofrem com a falta de oxigênio e medicamentos. No domingo, 580 pacientes foram transferidos de três hospitais de campanha para locais mais seguros.

Quase 200.000 pessoas abandonaram suas casas em Gujarat, onde todos os pacientes de Covid-19 hospitalizados dentro de um raio de cinco quilômetros da costa também foram transferidos, segundo o primeiro-ministro do estado, Vijay Rupani. O premiê anunciou que mais de 1.000 hospitais dedicados a Covid-19 nas cidades costeiras foram equipados com geradores.

O estado de Gujarat, que registrou até o momento 9.000 mortes por Covid-19 (um número oficial provavelmente subnotificado como em todo o país, segundo os especialistas), suspendeu a campanha de vacinação durante dois dias. Mumbai fez o mesmo por um dia.

A Índia, com 1,3 bilhão de habitantes, registrou 4.329 mortes e quase 280.000 contágios adicionais nas últimas 24 horas, o que eleva o total a quase 25 milhões de casos de Covid-19. Em maio de 2020, durante a primeira onda da pandemia, mais de 110 pessoas morreram durante a passagem do ciclone Amphan, que devastou o leste da Índia e Bangladesh.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895