Dezenas de jovens são encontrados vivos sete dias após tremor na Indonésia

Dezenas de jovens são encontrados vivos sete dias após tremor na Indonésia

Menores de idade foram resgatados em dois centros de educação profissionalizante

EFE

Governo estenderá o período de buscas na região para até 14 dias depois do desastre

publicidade

As equipes de resgate da Indonésia encontraram com vida 31 menores de idade que tinham ficado presos em duas escolas uma semana depois do terremoto e tsunami que atingiu a ilha de Célebes, informou neste sábado a agência de resgates Basarnas. Os menores de idade foram resgatados ontem em dois centros de educação profissionalizante, 23 deles no subdistrito de Marawola, em Sigi, e outros oito em Tondo, localidades situadas ao sul e ao norte de Palu, a capital provincial, respectivamente, declarou à Agência Efe o porta-voz da Basarnas, Yusuf Latif.

O porta-voz não soube precisar a idade dos estudantes, que ficaram isolados sem nenhum adulto nesses centros educativos que costumam ser frequentados por alunos com entre 15 e 17 anos. "A catástrofe ocorreu na sexta-feira, por isso (os adolescentes) ainda estavam estudando nas escolas", disse Latif, que garantiu que todos os jovens já se reuniram com seus familiares.

• Ajuda humanitária começa a chegar em áreas mais remotas 

A Basarnas indicou que o governo estenderá o período de buscas na região para até 14 dias depois do desastre, e que depois decidirá quais serão os próximos passos. As autoridades elevaram neste sábado para 1.649 o número de mortes causadas pelo terremoto, pelo tsunami e pelos deslizamentos de terra que o seguiram, que atingiram a região central de Célebes, onde mais de 70 mil pessoas tiveram que abandonar suas casas.

Mais de mil pessoas continuam soterradas sob escombros e lama, segundo estimativas oficiais e de ONGs, sobretudo em Balaroa de Palu, a localidade mais afetada, e no povoado de Petobo, que fica sete quilômetros ao sul da capital provincial.


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895