Dois membros do ex-governo de Morales detidos na Bolívia quando partiam para o México
capa

Dois membros do ex-governo de Morales detidos na Bolívia quando partiam para o México

Os ex-ministros da Mineração e de Desenvolvimento Agrícola Rural estavam há mais de 40 dias na residência diplomática do México

Por
AFP

"Mesmo nas piores ditaduras da América Latina, as condutas seguras eram respeitadas", escreveu Morales

publicidade

A polícia prendeu, neste sábado, dois membros do governo do ex-presidente Evo Morales, quando estavam prestes a embarcar em um avião com destino ao exílio no México, depois que receberam um salvo-conduto do governo de transição da Bolívia, anunciaram o ex-presidente nas redes sociais e um jornal.

O ex-ministro da Mineração César Navarro e Pedro Damián Dorado, ex-ministro de Desenvolvimento Agrícola Rural, que estavam há mais de 40 dias na residência diplomática do México, foram detidos no aeroporto de La Paz na presença de funcionários da União Europeia e da embaixada mexicana, afirmou o jornal Página Siete.

"Mesmo nas piores ditaduras da América Latina, as condutas seguras eram respeitadas. Hoje, às 5 horas da manhã, no aeroporto de El Alto, César Navarro e Pedro Damián Dorado foram presos. Suas vidas estão em perigo. Exigimos respeito pelo direito internacional", escreveu Morales em seu Twitter.

A prisão de Navarro e Dorado acontece pouco depois da detenção na sexta-feira da representante legal do ex-presidente, responsável pela execução dos procedimentos para a nomeação de Morales como candidato a deputado nas eleições de 3 de maio. A advogada Patricia Hermosa é acusada pelo governo de transição da direitista Jeanine Áñez de "sedição e terrorismo".

Morales vive em Buenos Aires desde dezembro, procedente do México. O ex-presidente encontrou refúgio no país da América do Norte após renunciar ao poder em novembro, forçado por um protesto social que denunciou fraude nas eleições anuladas de outubro e depois que os militares retiraram seu apoio.