Erdogan ameaça Europa com 3,6 milhões de refugiados em resposta a críticas por ação na Síria
capa

Erdogan ameaça Europa com 3,6 milhões de refugiados em resposta a críticas por ação na Síria

Presidente turco disse que "abriria as portas" para que eles entrassem no continente caso operação militar seja considerada "invasão"

Por
Correio do Povo e AFP

Ofensiva teve início na quarta-feira

publicidade

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, disse que "abriria as portas" para 3,6 milhões de refugiados atualmente na Turquia em busca de abrigo na Europa, em resposta às críticas a sua operação militar no norte norte da Síria, que tem como alvo grupos curdos. As ameaças vieram um dia depois que as tropas turcas começaram uma grande incursão na região, recebendo comentários negativos dos Estados Unidos, de muitas nações europeias e de países árabes. "Ei, União Europeia, volte à razão! Volto a repetir: se vocês tentarem apresentar nossa operação como uma invasão, abriremos as portas e enviaremos a vocês 3,6 milhões de migrantes", afirmou, em um discurso em Ancara.

O fluxo de migrantes do antigo Império Otomano para a Europa diminuiu consideravelmente desde que assinou um acordo um acordo com a UE em 2016:. Ancara readmite indivíduos que estejam nas ilhas gregas em situação irregular; em troca, para cada pessoa levada de volta ao território turco, um requerente de asilo lá assentado deve ser acolhido por um Estado-membro da UE. Erdogan anunciou o início da ofensiva militar transfronteiriça, com o codinome "Primavera da Paz" na quarta-feira, quando o presidente Donald Trump disse que as tropas americanas na área não ficariam no caminho.

Ancara diz que a operação visa forçar a volta de militantes curdos que controlam a área de fronteira e atingir militantes do Estado Islâmico. Os países europeus criticaram fortemente a operação contra as YPG, uma milícia curda descrita pela Turquia como "terrorista", mas que tem o apoio dos ocidentais na luta contra os jihadistas do grupo Estado Islâmico (EI). "Vocês nunca foram sinceros. Agora dizem que bloquearão 3 bilhões de euros [prometidos à Turquia no âmbito do acordo migratório]. Por acaso alguma vez vocês respeitaram alguma promessa que nos fizeram? Não", reclamou Erdogan. "Com a ajuda de Deus, continuaremos nossa jornada, mas abriremos as portas", completou

Nesta quinta, a lira pairava perto de seu nível mais fraco desde o final de agosto em relação ao dólar, enquanto ações e títulos do governo sentiam a ameaça de ações punitivas pelo Congresso dos EUA. As forças curdas da Síria lutam para conter a ofensiva, aumentando o medo de uma nova crise humanitária. A ação turca provocou protestos internacionais e uma reunião de emergência do Conselho de Segurança da ONU está programa para esta quinta. Enquanto os ocidentais temem o ressurgimento do EI, cuja derrota na Síria se deve em grande parte às forças curdas, o presidente francês Emmanuel Macron pediu à Turquia que "encerre o mais rápido possível" sua ofensiva.