Estudo mostra que isolamento na China evitou 1,4 milhão de casos de Covid-19

Estudo mostra que isolamento na China evitou 1,4 milhão de casos de Covid-19

Pesquisa indica que as medidas de contenção tomadas na província de Hubei podem ter evitado milhares de mortes

Correio do Povo e R7

Medidas chocaram no início, mas tiveram resultados positivos

publicidade

Um estudo publicado nesta semana por pesquisadores da Universidade de Yale, nos Estados Unidos, afirma que as medidas de contenção adotadas pela China no início da pandemia de Covid-19, em janeiro, podem ter evitado pelo menos 1,4 milhão de casos e 56 mil mortes pela doença. A pesquisa, liderada pelo professor Xi Chen – da Escola de Saúde Pública da universidade – modelou as transmissões locais e de longa distância do novo coronavírus na China entre 19 de janeiro e 29 de fevereiro.

Os pesquisadores implementaram uma abordagem de aprendizado de máquina para selecionar variáveis ​​essenciais que predizem fortemente a transmissão do vírus entre as características meteorológicas exógenas. Eles examinaram o papel de vários fatores socioeconômicos, incluindo medidas de saúde pública que incentivam o distanciamento social nas comunidades locais.

O estudo mostra que quarentenas rigorosas, contenção de cidades e medidas locais de saúde pública impostas desde o final de janeiro reduziram significativamente a taxa de transmissão – a propagação do vírus foi contida em meados de fevereiro. Segundo a pesquisa, a medida mais eficaz foi a "contenção da cidade", seguida pela "gestão de comunidades no vácuo" e "restrições familiares ao acesso externo".

De acordo com os resultados, o êxodo da população da região de origem da epidemia representava um risco maior para as regiões de destino do que outros fatores, como proximidade geográfica e condições econômicas semelhantes. "Os resultados do estudo têm implicações importantes para os atuais esforços globais de conter o Covid-19", disse Chen à Xinhua em entrevista.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895